BAIC quer comprar 5% de participação na Daimler

Getty Images
A BAIC já havia informado à Daimler sobre sua intenção de comprar de 4% a 5% na empresa alemã dona da Mercedes-Benz

O grupo chinês BAIC quer comprar até 5% de participação na Daimler, como modo de garantir seu investimento na Beijing Benz Automotive, a Mercedes-Benz chinesa, disseram à Reuters três fontes familiares com o assunto.

LEIA MAIS: Daimler tem queda de 16% no lucro no 1° tri

Mais cedo neste ano, a BAIC informou à Daimler sobre sua intenção de comprar de 4% a 5% na empresa alemã dona da Mercedes-Benz, disseram duas das três fontes consultadas.

A BAIC pediu às autoridades locais de Pequim que apoiassem a compra dos 4% a 5% de participação, também disseram duas das três fontes.

A empresa chinesa já começou a adquirir ações da Daimler no mercado aberto, disse uma fonte.

“O preço da ação da Daimler tem sido atualmente sustentado por um comprador que parece estar montando uma participação”, disse uma pessoa familiar com o assunto.

Procurada fora do horário comercial, a BAIC não atendeu a sucessivas ligações nem respondeu a mensagens de texto para comentar. A Daimler não quis comentar.

Ainda não está claro se o grupo BAIC é capaz de levantar os quase € 3 bilhões necessários para comprar uma participação de 5% na Daimler, quantia calculada com base no valor de mercado apurado ontem (10), de € 57,6 bilhões, disseram duas das três fontes.

VEJA TAMBÉM: Daimler e BMW investirão € 1 bi para concorrer com Uber

Nos registros regulatórios alemães, a BAIC não consta como acionista significativo da Daimler. As regras para aquisição na Alemanha permitem a compra de até 3% de uma companhia antes de se exigir uma divulgação regulatória.

A Daimler tem descartado a emissão de novas ações para ajudar algum interessado a montar uma posição, forçando potenciais compradores a adquirir as ações no mercado.

A BAIC já demonstra interesse em comprar uma participação na Daimler desde 2015, e redobrou os esforços depois que Li Shufu, presidente do Conselho da montadora rival chinesa Zheijang Geely Holding Group, construiu, no início de 2018, uma posição de 9,69% na Daimler, cuja sede fica em Stuttgart.

Valendo-se de empresas de fachada em Hong Kong, derivativos, financiamentos bancários e opções estruturadas de compra de ações, Li manteve o plano em segredo até ser capaz de, numa só tacada, se tornar o maior acionista individual da Daimler.

Em março, a companhia alemã confirmou o desenvolvimento de uma nova geração de carros urbanos da marca Smart em parceria com a Geely, cuja sede fica em Hangzhou.

A Daimler também reafirmou à BAIC que qualquer nova aliança industrial envolvendo a Mercedes e a parceira chinesa só ocorreria após um consenso ser alcançado na própria BAIC.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).