Huawei diz que restrições dos EUA reduzirão receita de smartphones em mais de US$10 bi

Reprodução Forbes
O négocio de US$ 100 bilhões de dólares da Huawei tem sido duramente atingido desde meados de maio

A gigante de tecnologia Huawei anunciou hoje (23) que o impacto das restrições comerciais dos Estados Unidos sobre seus negócios será menor do que o inicialmente temido, embora as restrições possam reduzir a receita da unidade de smartphones em cerca de US$ 10 bilhões ao ano.

VEJA TAMBÉM: Citigroup e BNP pegos em investigação da Huawei nos EUA

O négocio de US$ 100 bilhões de dólares da Huawei tem sido duramente atingido desde meados de maio, depois que Washington colocou a segunda maior fabricante de smartphones do mundo em uma lista de entidades que ameaça cortar seu acesso a componentes e tecnologias norte-americanas.

Em sua primeira avaliação do impacto das restrições, o fundador e presidente-executivo da Huawei, Ren Zhengfei, disse em junho que a lista negra atingiria a receita da empresa em US$ 30 bilhões, deixando-a sem crescimento para 2019.

“Parece que vai ser um pouco menos que isso. Mas você tem que esperar os nossos resultados em março”, disse Eric Xu, vice-presidente da Huawei, em coletiva de imprensa para apresentar novos chips de inteligência artificial em sua sede em Shenzhen.

O grupo de negócios de consumo da Huawei – que inclui o setor de smartphones e está correndo para desenvolver um sistema operacional próprio em preparação para o pior cenário de ser banido de aplicativos Android essenciais- está indo “muito melhor” este ano do que inicialmente previa, Xu disse.

“Mas uma redução de vendas de mais de US$ 10 bilhões poderia acontecer”, disse ele. O grupo de negócios de consumo da Huawei divulgou receita de 349 bilhões de iuanes em 2018.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).