Ibovespa fecha em queda com pressão de Wall Street

ReutersAmanda-Perobelli
Na semana, o Ibovespa teve variação positiva de 0,25%

O Ibovespa fechou em queda hoje (27), contaminado pela piora de Wall Street, com as ações da Gol e de sua controlada Smiles liderando as perdas, após a norte-americana Delta anunciar que vai vender participação na companhia aérea brasileira para comprar fatia na rival chilena Latam.

O índice de referência da bolsa brasileira caiu 0,23%, a 105.077,63 pontos. O volume financeiro da sessão somou R$ 12,1 bilhões. Na semana, o Ibovespa teve variação positiva de 0,25%.

As bolsas em Nova York caíram após notícias de que o governo do presidente Donald Trump estaria considerando deslistar ações de empresas chinesas das bolsas de valores dos Estados Unidos e limitar os investimentos norte-americanos na China. O S&P 500 fechou em baixa de 0,5%.

LEIA MAIS: Ação da Latam Airlines dispara 30% após acordo com Delta

Em discurso na ONU, o principal diplomata da China disse que tarifas e disputas comerciais podem mergulhar o mundo em recessão e Pequim se comprometeu a resolvê-las de “maneira calma, racional e cooperativa”.

A disputa tarifária iniciada pelos EUA contra a China tem preocupado agentes financeiros, com sinais contraditórios enviados pelos envolvidos sobre o andamento das negociações, com investidores também monitorando o início de um processo de impeachment de Trump.

Para o operador Alexandre Soares, da BGC Liquidez, fatores externos minaram o Ibovespa, com as notícias sobre possíveis ações dos EUA contra empresas chinesas pesando, além dos receios de possíveis dedesdobramentos do pedido de impeachment de Trump.

“Ao mesmo tempo, no front local, novos atrasos no andamento da reforma da Previdência também afetam negativamente o ânimo dos investidores”, afirmou.

A equipe da corretora H.Commcor destacou que “a insegurança de investidores segue em alta, não sendo necessárias notícias de grande ‘calibre’ para desencadear novas rodadas de volatilidade nos mercados”.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).