Índices chineses recuam ao menor nível em um mês

China News Service / Colaborador
Índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 1%

As ações da China caíram para o menor nível em quase um mês hoje (30) com a notícia de que os Estados Unidos podem restringir o acesso de empresas chinesas ao mercado de capitais norte-americano, alimentando os temores de uma grande escalada em sua prolongada guerra comercial.

LEIA MAIS: China pede resolução “calma e racional” para guerra comercial

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, recuou 1%, enquanto o índice de Xangai teve queda de 0,9%, no menor nível desde 2 de setembro.

O subíndice do setor financeiro recuou 1,3%, o de consumo teve queda de 1%, o setor imobiliário caiu 0,1%, enquanto o subíndice de saúde perdeu 0,4%.

O governo do presidente Donald Trump está considerando retirar empresas chinesas de bolsas de valores dos EUA, disseram três fontes familiarizadas com o assunto na sexta-feira (27).

A medida seria parte de um esforço mais amplo para limitar o investimento dos Estados Unidos em empresas chinesas, disseram duas fontes. Uma delas revelou que a motivação são as crescentes preocupações com a segurança do governo Trump acerca das atividades das empresas.

VEJA TAMBÉM: Trump critica práticas comerciais da China na ONU

Em Tóquio, o índice Nikkei recuou 0,56%, a 21.755 pontos. Em Hong Kong, o índice HANG SENG subiu 0,53%, a 26.092 pontos. Em Xangai, o SSEC perdeu 0,92%, a 2.905 pontos.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, retrocedeu 0,99%, a 3.814 pontos. Em Seul, o índice KOSPI teve valorização de 0,64%, a 2.063 pontos. Em Taiwan, o índice TAIEX permaneceu fechado. Em Singapura, o STRAITS TIMES se desvalorizou 0,18%, a 3.119 pontos. Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 recuou 0,41%, a 6.688 pontos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).