China pede resolução “calma e racional” para guerra comercial

Jason Lee/GettyImages
Governo Trump considera novas táticas radicais de pressão financeira sobre Pequim, Wang Shouwen

A China espera que Pequim e Washington resolvam sua disputa comercial “com uma atitude calma e racional”, disse o vice-ministro do Comércio, Wang Shouwen, hoje (29), antes das negociações entre os dois lados que começam em duas semanas.

VEJA TAMBÉM: China e EUA iniciam nova rodada de tarifas em meio a guerra comercial

Os Estados Unidos e a China têm estado presos em uma crescente guerra comercial há mais de um ano. Ambos têm cobrado impostos punitivos sobre centenas de bilhões de dólares dos bens uns dos outros, o que tem abalado os mercados financeiros e ameaçado o crescimento global.

Uma nova rodada de negociações de alto nível entre as duas maiores economias do mundo em Washington está prevista para os dias 10 a 11 de outubro, liderada, do lado chinês, pelo principal assessor econômico do presidente Xi Jinping, o vice-primeiro-ministro, Liu He.

Wang, que fez parte da equipe de negociação da China com os Estados Unidos, disse em entrevista coletiva que Liu iria a Washington para as negociações na semana seguinte ao feriado do Dia Nacional da China, que termina em 7 de outubro.

Ele disse esperar que os dois lados encontrem maneiras de resolver suas diferenças. “Acreditamos que isso beneficiará o povo dos dois países e o mundo”, acrescentou.

O governo Trump está considerando novas táticas radicais de pressão financeira sobre Pequim, incluindo a possibilidade de deslistar empresas chinesas das bolsas de valores dos EUA.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).