Snapchat entrega dossiê com denúncias contra o Facebook para agência federal dos EUA

Snapchat/GettyImages_MartinBureau
As acusações feitas pelo Snapchat foram transformadas em um dossiê contra o Facebook

O Snapchat está entregando uma coleção de documentos para a Federal Trade Commission (FTC), agência dos Estados Unidos que cuida dos consumidores, detalhando os esforços do Facebook em sufocar os negócios da empresa, de acordo com o “Wall Street Journal”. Essa jogada pode significar problemas para o Facebook, pois os investigadores tendem a focar em comportamento que pode entrar em conflito com a lei antitruste.

LEIA MAIS:Dona do Snapchat lançará novos óculos de realidade aumentada

  • A equipe legal do Snapchat construiu um dossiê para manter informações de possíveis situações nas quais eles acreditam que o Facebook abusou do poder;
  • Os documentos acusam o Facebook de impedir que conteúdo relacionado ao Snapchat entre nas tendências da página Explorar do Instagram e de bloquear pesquisas de termos relacionados ao Snapchat, de acordo com o “WSJ”;
  • Além disso, o Facebook é acusado de ameaçar retirar o status de verificado de usuários se eles compartilhassem links do Snapchat no perfil. Em 2016, o Instagram fez exatamente isso;
  • Os esforços foram chamados de “Projeto Voldemort”, em referência ao vilão do filme Harry Potter;
  • Ainda de acordo com o jornal, a FTC também está investigando o Facebook por copiar ferramentas essenciais de seus rivais depois de não conseguir adquiri-los, movimentação que aconteceu com o Snapchat e Foursquare.

Nem o Facebook ou o Snapchat quiseram comentar o caso.

O Facebook está sendo investigado em quatro casos separados pela lei antitruste, incluindo o acima relatado. O Departamento de Justiça, o Congresso e o grupo bipartidário de advogados gerais estaduais analisam a empresa.

Depois de uma abertura de capital desastrosa há dois anos, o Snapchat é uma das ações de tecnologia com melhor performance do ano.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).