SoftBank se volta contra CEO da WeWork

TIMOTHY A. CLARY/GettyImages
Adam Neumann é presidente-executivo e cofundador da WeWork

O SoftBank Group, maior investidor da proprietária do WeWork, a We Company, está explorando maneiras de substituir Adam Neumann como presidente-executivo da empresa de escritórios compartilhados nos EUA, quatro fontes familiarizadas com o assunto disseram no domingo (22).

LEIA MAIS: WeWork adia IPO após resposta fria de investidores

O raro confronto entre o SoftBank e um de seus maiores investimentos ocorre depois que a We Company adiou sua oferta pública inicial (IPO) na semana passada, após a reação ruim de possíveis investidores, não apenas por seus crescentes prejuízos, mas também pela administração excepcionalmente rígida de Neumann.

Isso foi um golpe para o SoftBank, que esperava que o IPO da We Company aumentasse seus lucros, enquanto procurava atrair investidores para o seu segundo Vision Fund de US$ 108 bilhões. A empresa investiu na We Company com uma avaliação de US$ 47 bilhões em janeiro, mas o ceticismo dos investidores no mercado de ações levou a startup considerar uma potencial avaliação no IPO no início deste mês de apenas US$ 10 bilhões, informou a Reuters.

Qual foi a maior perturbação do mundo do capital de risco agora está se transformando em um dos dramas mais famosos da sala de reuniões da América.

Alguns diretores da companhia estão deliberando sobre como substituir Neumann como presidente-executivo, disseram as fontes. O número exato de diretores contra Neumann não é claro. A empresa de capital de risco Benchmark Capital, outro grande investidor da We Company, também gostaria que Neumann se afastasse, disse uma das fontes.

Nenhuma contestação para Neumann ainda foi apresentada, disseram as fontes. Uma reunião do conselho da We Company será realizada esta semana, e a questão de sua liderança poderá ser levantada então, acrescentaram as fontes.

Uma opção que o SoftBank está considerando é pedir a Neumann para se tornar presidente-executivo interino enquanto uma empresa de headhunting é contratada para encontrar um substituto externo, disse a primeira fonte.

VEJA TAMBÉM: WeWork reduz poderes de presidente em tentativa de melhorar IPO

Como cofundador da We Company, Neumann possui ações com direito a voto especial que lhe permitem demitir diretores dissidentes do conselho e derrubar qualquer contestação à sua autoridade. No entanto, o SoftBank pode optar por não apoiar o IPO da empresa ou fornecer mais financiamento. Ele já investiu cerca de US$ 10 bilhões e estava discutindo comprometer outro bilhão no IPO.

A We Company disse na semana passada que pretende se tornar uma empresa de capital aberto até o final do ano.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).