Ibovespa sobe mais 1% e bate recorde acima de 110 mil pontos

Paulo Whitaker/Reuters
Ibovespa fechou na máxima, em alta de 1,23%, a 110.300,93 pontos

O Ibovespa renovou máximas recordes hoje (4), negociado acima dos 110 mil pontos pela primeira vez, em meio a novos sinais da retomada da atividade econômica, com a alta respaldada pelo cenário externo favorável.

Nos ajustes, o Ibovespa, índice de referência do mercado acionário brasileiro, superou o recorde intradia de mais cedo, fechando na máxima, em alta de 1,23%, a 110.300,93 pontos. O volume financeiro somou R$ 18,06 bilhões. No ano, o Ibovespa acumula ganho de cerca de 25%.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha quase estável com cena comercial ofuscando PIB

“O acúmulo de evidências de que a economia está retomando parece ser o grande gatilho no momento e explica também o Brasil ter descolado positivamente de outros mercados nos últimos dias”, avalia o gestor Igor Lima, sócio na Galt Capital.

Nos dois primeiros pregões da semana, o Ibovespa subiu 0,7%, enquanto o norte-americano S&P 500 caiu 1,5%.

Na visão de Lima, se os dados positivos de atividade continuarem saindo e confirmando esse cenário, a bolsa pode ter um fim de ano e início de 2020 bastante positivo, inclusive com revisões de estimativa para cima para o PIB e lucros em 2020.

Um dia após o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no terceiro trimestre surpreender positivamente, a produção industrial no país cresceu 0,8% em outubro na comparação com setembro, o terceiro mês seguido de expansão.

De acordo com economistas do UBS, os números têm mostrado um desempenho melhor no segundo semestre, após dados mais fracos de produção na primeira metade do ano, corroborando perspectivas melhores para 2020.

O gestor Marcelo Mesquita, sócio na Leblon Equities, ainda destacou que o país tem no momento os menores juros da sua história e uma agenda positiva de reformas estruturais – ajuste fiscal, privatizações e abertura da economia.

VEJA TAMBÉM: Ibovespa fecha em alta e beira 109 mil pontos

“Isso deve estimular investimentos e trazer crescimento econômico. Tudo isso valoriza as empresas e a bolsa sobe”, afirmou.

A trajetória positiva no pregão brasileiro era respaldada nesta sessão pela performance das bolsas norte-americanas, em meio ao noticiário mais favorável em relação ao comércio global, particularmente as negociações entre China e Estados Unidos.

Após recuar nos primeiros pregões da semana, o S&P 500 encerrou com elevação de 0,6%. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta quarta-feira que as negociações comerciais com a China estão indo “muito bem”.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).