Uber reduz prejuízos na Índia com venda de Uber Eats para rival

ReutersConnect/Valentyn Ogirenko
A venda da unidade deficitária é mais um passo dado em direção ao objetivo de ser lucrativa em nível operacional até o final de 2021

A Uber vendeu o deficitário Uber Eats da Índia para a rival local Zomato em troca de uma participação de 9,99% na startup apoiada pela chinesa Ant Financial.

A Zomato, avaliada em cerca de US$ 3 bilhões depois do investimento da Ant este mês, assumirá as operações do Uber Eats a partir de hoje (21).

LEIA MAIS: Uber fecha parceria com Hyundai para desenvolver carros elétricos voadores

Desde o lançamento na Índia, em 2017, o Uber Eats tem tido dificuldades para ganhar participação de mercado e ocupa apenas um distante terceiro lugar, atrás do Swiggtm, apoiado pela Tencent Holdings, e da Zomato.

As três gastaram muito em acordos e descontos para atrair clientes em um mercado altamente competitivo.

O vice-presidente financeiro da Uber, Nelson Chai, disse que a mudança foi outra demonstração, após sua decisão de sair do Uber Eats na Coreia do Sul em outubro de 2019, “de nosso compromisso de reavaliar os mercados do Uber Eats, onde não temos um caminho para a liderança”.

A empresa sediada em São Francisco, que prometeu ser lucrativa em nível operacional até o final de 2021, tenta vender o negócio há um ano, disseram à Reuters três fontes familiarizadas com as negociações.

A unidade na Índia registrou prejuízo de US$ 61 milhões no trimestre encerrado em 30 de setembro, com receita de US$ 20 milhões, informou a empresa em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA.

A venda permitirá que a Uber reduza o prejuízo e ainda mantenha participação em um mercado que deve valer US$ 15 bilhões até 2023.

LEIA TAMBÉM: Rappi e Uber Eats apostam em tendência das “dark kitchens”

Os pedidos mensais da Zomato devem aumentar em 10 milhões, dos 38 milhões a 40 milhões que possuía antes do acordo, disse uma fonte familiarizada com o negócio. A Swiggy também recebe cerca de 40 milhões em pedidos mensais.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).