Azul e Latam cortarão voos internacionais em até 30% por causa de coronavírus

ReutersConnect/Amanda Perobelli
ReutersConnect/Amanda Perobelli

Além dos voos, as companhias aéreas suspenderam as previsões contábeis para 2020 até conseguirem ter mais certeza do futuro

A Latam Airlines e a Azul anunciaram hoje (12) que cortarão capacidade em voos internacionais em até 30% diante de queda na demanda por causa da epidemia de coronavírus.

As companhias também suspenderam previsões de lucro para 2020 e disseram que não têm clareza suficiente para fazerem novas previsões para o ano.

LEIA MAIS: Ibovespa recua forte nos primeiros negócios e aciona 3º circuit breaker da semana

A Latam é a maior companhia aérea da América do Sul e informou que cortará voos entre 1º de abril e 30 de maio. Os cortes vão ser concentrados em voos entre América do Sul e Estados Unidos ou Europa.

O surto ocorre em um momento particularmente arriscado para a Azul, que planejava uma expansão agressiva. Este ano, a empresa anunciou um acordo para comprar a Twoflex para expandir voos domésticos. No ano passado, lançou novas rotas internacionais para a cidade de Nova York e começou a receber novos aviões da Embraer.

Agora, diante do surto, a companhia afirmou que reduzirá o crescimento de voos domésticos, reduzirá a capacidade em voos internacionais em até 30% e interromperá entregas adicionais dos jatos Embraer E2.

A rival Gol ainda não divulgou o impacto do coronavírus esperado nas operações. As companhias na Europa e na América do Norte reduziram previsões de lucro.

LEIA TAMBÉM: Governo estuda liberar R$ 5 bilhões emergenciais para combater coronavírus

A Latam disse que está reduzindo custos, mas não divulgou o mesmo nível de detalhes que a Azul.

A empresa já cancelou voos entre São Paulo e Milão até meados de abril, mas ainda não especificou onde cortará outros.

A Azul também divulgou um prejuízo líquido de R$ 2,3 bilhões no quarto trimestre de 2019, afetado pela fraqueza do real.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).