IRB Brasil desaba e já perde quase R$ 7 bilhões em valor de mercado

gettyimages-SusanWoodimages
As ações desabaram após Warren Buffett dizer que não é acionista da resseguradora brasileira

As ações do IRB Brasil RE desabavam mais de 25% hoje (4), após a Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, dizer que não é acionista da resseguradora brasileira, negando informações que circularam na mídia nos últimos dias, em mais um revés para a companhia, que já acumula queda de mais de 40% em 2020.

“A Berkshire Hathaway não é atualmente acionista do IRB, nunca foi uma acionista do IRB e não tem intenção de ser acionista do IRB”, afirmou a empresa de investimentos do bilionário norte-americano em comunicado.

Por volta das 10h50, as ações do IRB recuavam 25,6%, com forte volume negociado, a R$ 20,83, na mínima da sessão e menor valor desde novembro 2018. O preço representa uma perda de cerca de R$ 6,7 bilhões em valor de mercado em relação ao fechamento de ontem (3). No mesmo horário, o Ibovespa mostrava elevação de 1,2%.

Após a abertura do mercado, o IRB mandou novo comunicado ao mercado afirmando que seu conselho de administração determinou a realização de uma “análise criteriosa” de sua base acionária.

Na última semana de fevereiro, o jornal “O Estado de S. Paulo” publicou que a Berkshire Hathaway havia praticamente triplicado a fatia que detinha na resseguradora em fevereiro. No dia da divulgação da notícia, as ações fecharam em alta de 6,6%.

VEJA TAMBÉM: Berkshire Hathaway nega ser acionista do IRB Brasil

O Estadão também publicou recentemente que a advogada Márcia Cicarelli, que segundo a reportagem representa a Berkshire Hathaway no Brasil, teria sido indicada para compor o conselho fiscal da resseguradora.

Em comunicado ao mercado na véspera, o IRB Brasil RE disse que “nunca afirmou que tal grupo (Berkshire Hathaway) fosse seu acionista”.

“O anúncio veio após os administradores da companhia (IRB) confirmarem (em teleconferência) que a indicação de Márcia Cicarelli teria sido em função da aproximação da resseguradora com o fundo americano, que seria um parceiro de negócios e sócio do IRB”, ressaltou a XP Investimentos, em nota a clientes.

A equipe da Genial Investimentos também destacou em nota a clientes que, na segunda-feira passada (27), a direção do IRB organizou teleconferência com analistas para esclarecer a renúncia de Ivan Monteiro da presidência do conselho de administração e também falou sobre o relacionamento duradouro com a Berkshire e a posição dos acionistas na empresa.

As ações do IRB Brasil RE acumularam até a véspera queda de 28,1% desde o começo do ano, enquanto o Ibovespa perdia menos de 9%, pressionadas particularmente por ruídos relacionados à contabilidade de seus resultados.

A equipe do Credit Suisse avaliou que o comentário da Berkshire é negativo para a ação da resseguradora, “já que o indicativo de investimentos da Berkshire na companhia havia sido visto de forma positiva pelo mercado, indicando confiança na empresa”, conforme nota enviada pela corretora do banco a clientes.

Já a Guide Investimento afirmou que após as cartas públicas da gestora Squadra questionando as práticas contábeis do IRB e a saída de Ivan Monteiro da presidência do conselho da empresa, a notícia de que Buffett não elevou sua participação, e nem mesmo é acionista da companhia, deve elevar, ainda mais, o nível de incerteza sobre o ativo.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).