Perspectiva para economia no Focus em 2020 volta a piorar em meio a pandemia

Adriano Machado/Reuters
Pesquisa do BC mostra que a expectativa é de contração de 3,34% do PIB, contra queda de 2,96% prevista antes

O cenário para a economia brasileira este ano continuou em queda livre na pesquisa Focus do Banco Central, como consequência das paralisações e isolamentos devido à pandemia de coronavírus em todo o mundo.

O levantamento divulgado hoje (27) mostra que a expectativa agora é de uma contração de 3,34% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, contra queda de 2,96% prevista antes. Para 2021, a estimativa de crescimento caiu 0,10 ponto percentual, a 3%.

LEIA MAIS: Atividade econômica tem recuperação em fevereiro antes de baque por pandemia, aponta BC

Em meio ao fechamento de fábricas e comércio, a produção industrial deve contrair este ano 2,35% na visão dos economistas consultados, contra recuo de 2,25% previsto antes. Em 2021 o setor deve se recuperar com uma alta de 2,90% na produção.

O levantamento semanal apontou ainda que a taxa básica de juros deve terminar o ano a 3%, sem alteração. Mas para 2021 a conta para a Selic caiu a 4,25%, de 4,5%.

O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, manteve as expectativas de Selic a 2,5% em 2020 e 3,88% em 2021 na mediana das projeções.

Para a alta do IPCA, o levantamento semanal mostra agora projeção de 2,20% este ano e 3,40% no próximo, contra 2,23% e 3,40% antes, respectivamente.

O centro da meta oficial de 2020 é de 4 por cento e, de 2021, de 3,75 por cento, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).