Os 10 maiores capitalistas de risco da Europa

ReproduçãoForbes
À medida que uma quantidade recorde de capital de risco flui para o cenário tecnológico da Europa, novas empresas emergentes estão surgindo

Resumo:

  • Investidor tcheco Jan Hammer lidera o ranking dos maiores investidores de capital de risco pelo segundo ano consecutivo;
  • A edição deste ano tem novas empresas, recém-chegados e um top 10 bem diferente de 2018;
  • A Midas Europa é produzida em parceria com a TrueBridge Capital Partners.

As preocupações com o Brexit não estão atrasando alguns investidores. Pelo terceiro ano consecutivo, a Lista Midas Europa mostra quem são os principais investidores de capital de risco da Europa e Israel.

Produzida em parceria com a TrueBridge Capital Partners, o ranking é uma baseado em dados que reconhece investidores de startups que fizeram apostas maiores e mais ousadas, desde IPOs de alto perfil como Adyen, Farfetch e Spotify até unicórnios ainda privados como Deliveroo, Revolut e UiPath.

VEJA MAIS: Lista Midas Europa: veja as 10 empresas preferidas dos investidores

A cada ano, a FORBES e a TrueBridge revisam envios de dados confidenciais para centenas de investidores em dezenas de companhias para acompanhar seu desempenho, avaliando-os para empresas que levantaram fundos com valores iguais ou maiores a US$ 200 milhões, que abriram capital ou que foram adquiridas por pelo menos US$ 100 milhões, nos últimos cinco anos, com um peso extra dado aos retornos realizados. Anos de envios cuidadosamente coletados e conjuntos de dados públicos ajudam a garantir que a Lista Midas Europa de cada ano seja a mais precisa.

A edição deste ano mantém Jan Hammer, da Index Ventures, no topo. Mas, à medida que uma quantidade recorde de capital de risco flui para o cenário tecnológico da Europa, novas empresas emergentes estão surgindo: grande parte do restante dos 10 principais mudou. E quatro recém-chegados chegaram ao ranking.

Veja, na galeria abaixo, os 10 principais investidores de capital de risco da Europa:

  • 10. Thomas Stafford

    Thomas Stafford é sócio-gerente da DST Global, empresa de investimentos mundial fundada pelo empresário russo e investidor inicial do Facebook, Yuri Milner. Em 2016, Stafford abriu o escritório em Londres da empresa depois de cinco anos na empresa. Antes disso, ele investiu principalmente na Ásia, tendo passado muitos anos em Hong Kong. Stafford dirige os esforços globais da DST em fintechs e liderou investimentos, incluindo Auto1, Bulb, Deliveroo, Greensky, Nubank, Revolut e Farfetch, que fez IPO em setembro de 2018. Seu investimento na Klarna pode ser o próximo grande retorno: em junho de 2019, a fintech levantou dinheiro e alcançou uma avaliação de US$ 5,5 bilhões. Stafford trabalhou anteriormente na Goldman Sachs.

  • 9. Robin Klein

    Robin Klein cofundou a LocalGlobe em 2015 com seu filho Saul (nº 13) depois de trabalhar como parceiro de risco na Index Ventures por cinco anos. Ele construiu e vendeu três empresas, mais recentemente o Innovations Group, em 1995, que realizou a primeira transação de comércio eletrônico no Reino Unido. Dos seus mais de 120 investimentos em estágio inicial ao longo dos anos, ele apoiou a TransferWise, avaliada em US$ 3,5 bilhões em maio de 2019, bem como Adzuna, Citymapper, Graze, Secret Escapes e Zoopla, que abriu capital em 2014 e foi adquirida pela Silver Lake em maio de 2018. Com Saul, o ancião Klein trabalhou para desenvolver o Phoenix Court, um centro comunitário e espaço de trabalho para a LocalGlobe e um fundo irmão que eles lançado em janeiro de 2019 para investir em empresas de estágio posterior de seu portfólio chamado Latitude. O Phoenix Court já realizou mais de 80 eventos em um ano de operação.

  • 8. Fredrik Cassel

    O investidor sueco Fredrik Cassel mantém uma posição alta na lista Midas Europe devido a seu investimento no Spotify, o serviço de streaming de música que se listou na Bolsa de Nova York em abril de 2018 e foi negociado com uma capitalização de mercado de mais de US$ 25 bilhões. Cassel trabalhou com outros investimentos da Creandum, incluindo KRY, depop, Kahoot !, Virta Health, Shapr3D, Xeneta, Careship, Soundtrack Your Brand, Cint (adquirida em 2016), 13th Lab (adquirido pelo Facebook) e Videoplaza (adquirida pela Ooyala) e Autobutler (adquirido pelo PSA Group). Blogueiro ávido, o investidor anteriormente administrava o maior serviço de busca online da região nórdica, o Scandinavia Online.

  • 7. Martin Mignot

    Um dos quatro investidores da Index a aparecer na Midas Europa em 2019, Mignot faz sua estreia devido a investimentos como a Deliveroo, a empresa de entrega de alimentos avaliada em mais de US$ 2 bilhões. Ele foi o primeiro investidor na empresa quando havia apenas meia dúzia de pessoas cobrindo um pequeno grupo de restaurantes no bairro de Soho, em Londres. O investidor de Bird, KRY e Revolut encontrou outra empresa do portfólio, a Captain Train, como resultado de um telefonema para o escritório na véspera de Natal (a Trainline adquiriu a empresa em março de 2016). Executivo tuiteiro, ele se desconecta nas férias, indo a uma parte remota da França (ele é um cidadão francês e britânico) com uma sacola de livros, diz ele.

  • 6. Phillipe Botteri

    Botteri entrou na Accel em 2011, depois de cinco anos na Bessemer Venture Partners, onde adquiriu e coliderou o investimento da empresa em uma das maiores companhias de tecnologia da França nos últimos anos, a Criteo, que se tornou pública em 2013 e alcançou um valor de mercado de mais de US$ 3 bilhões pouco tempo depois. Na Accel, Botteri foi responsável pelo investimento da empresa na empresa de assinatura eletrônica DocuSign, que foi aberta em 2018. Em junho de 2019, dois dos investimentos em estágio inicial de Botteri foram abertos: Fiverr e Crowdstrike. Outro investimento de Botteri, a startup francesa de saúde Doctolib, ultrapassou a marca de US$ 1 bilhão depois de levantar US$ 150 milhões em março de 2019.

  • 5. Klaus Hommels

    Klaus Hommels é o fundador da Lakestar, uma empresa sediada em Zurique, com escritórios em Berlim, Londres, Nova York e Hong Kong. Aberta em 2012, após anos de investimento de Hommels por conta própria, a Lakestar levantou US$ 350 milhões para seu terceiro fundo em 2015; em junho de 2019, foi relatado que os planos da empresa para um novo fundo de US$ 800 milhões estariam atrasados. Hommels foi um dos primeiros investidores de King.com, Skype e Spotify, que se listou em abril de 2018 na Bolsa de Valores de Nova York e tinha um valor de mercado de mais de US$ 25 bilhões em novembro de 2019. Hommels anteriormente investiu no Facebook como um investidor anjo e foi um dos primeiros investidores de startups como Harry’s, OpenDoor e Oscar Health nos EUA.

  • 4. Pär-Jörgen Pärson

    Seria difícil para Pär-Jörgen Pärson superar seu posto de 2018. Naquele ano, ele gerou dois resultados de vários bilhões de dólares; primeiro, a listagem da gigante sueca de streaming Spotify na Bolsa de Nova York (desde novembro de 2019, a empresa, pela qual a Pärson foi o primeiro investidor externo, está negociando em uma capitalização de mercado acima de US$ 25 bilhões); então, a empresa sueca iZettle foi adquirida pelo PayPal por US$ 2,2 bilhões. Mas 2019 provou ser um ano marcante para a Pärson e a Northzone Ventures, a empresa em que ingressou em 2004 também. Ele era uma figura central por trás da mais recente (e maior) captação de recursos da empresa, a Northzone IX, que levantou US$ 500 milhões para investir em startups. O portfólio de Pärson inclui a FuboTV, uma startup de mídia, o aplicativo de economia Qapital e um Spotify para empresas, a SoundtrackYourBrand. Neste ano, ele liderou a rodada de financiamento da Verve, uma plataforma de vendas baseada em recomendações boca a boca.

  • 3. Danny Rimer

    Depois de se mudar para Londres, Rimer estreou em terceiro lugar na lista da Midas Europa. No ano passado, seus resultados incluíram IPOs do serviço de compartilhamento de arquivos Dropbox e do site de moda de luxo Farfetch, e a avaliação de US$ 2 bilhões da plataforma de bate-papo Discord. Os investimentos de Rimer também tiveram bom desempenho neste ano: a startup de maquiagem Glossier alcançou o status de unicórnio, enquanto a ferramenta de design Figma levantou US$ 40 milhões e a plataforma de assinatura Patreon recebeu US$ 60 milhões em financiamento. Nascido de mãe belga e pai suíço, Rimer cresceu na Suíça e foi responsável pela expansão da Index Ventures, fundada na Suíça, para Londres e São Francisco. Rimer diz: “Na Europa, sou considerado americano e, na América, sou europeu. É um status de fora do qual me sinto confortável, e o mesmo vale para muitos de nós no Index”.

  • 2. Sonali De Rycker

    Sonali De Rycker obteve sua maior vitória por seu papel fundamental no investimento da Accel no Spotify. A gigante sueca de streaming de música abriu seu capital no ano passado e negocia um valor de mercado de mais de US$ 25 bilhões em novembro de 2019. De Rycker, que ingressou na Accel em 2008, está sediada no escritório de Londres da empresa; ela trabalhou anteriormente na Goldman Sachs e na Atlas Ventures. Ela foi uma das primeiras investidoras no Avito da Rússia, o segundo maior site de publicidade classificada do mundo. Hoje, os investimentos de De Rycker incluem a startup fintech de Londres Soldo e o neobank Monzo, pelos quais ela coliderou um financiamento de US$ 108 milhões no ano passado, além da Sennder, de Berlim. Essa startup de logística levantou uma rodada de financiamento da Série B de US$ 30 milhões liderada por De Rycker, em seguida, uma rodada subsequente da Série C de US$ 70 milhões, em 2019.

  • 1. Jan Hammer

    Hammer ocupa o primeiro lugar na lista da Midas Europa pelo segundo ano consecutivo, enquanto seus investimentos em tecnologia, incluindo Alan e Capitolis, continuam a dar frutos. Dezenas de VCs rejeitaram o Robinhood antes que Hammer fizesse um investimento inicial no aplicativo de negociação de ações. Em 2019, a empresa atingiu uma avaliação de US$ 7 bilhões, enquanto continuava a expandir suas ofertas, incluindo recursos bancários lançados no início do ano. O investidor com sede em Londres conta com várias empresas avaliadas em bilhões, como Collibra e TransferWise, entre as vitórias emergentes em seu portfólio; os dois unicórnios obtiveram mais de US$ 100 milhões em rodadas de financiamento em 2019. O primeiro negócio de Hammer na Index foi na empresa de pagamentos digitais Adyen, com sede na Holanda, que abriu capital em 2018 e foi negociada com um valor de mercado acima de US$ 20 bilhões em novembro de 2019. Longe do capital de risco, o nativo tcheco trabalha com a galeria de arte de Londres Tate para expandir sua coleção da Europa Central e Oriental.

10. Thomas Stafford

Thomas Stafford é sócio-gerente da DST Global, empresa de investimentos mundial fundada pelo empresário russo e investidor inicial do Facebook, Yuri Milner. Em 2016, Stafford abriu o escritório em Londres da empresa depois de cinco anos na empresa. Antes disso, ele investiu principalmente na Ásia, tendo passado muitos anos em Hong Kong. Stafford dirige os esforços globais da DST em fintechs e liderou investimentos, incluindo Auto1, Bulb, Deliveroo, Greensky, Nubank, Revolut e Farfetch, que fez IPO em setembro de 2018. Seu investimento na Klarna pode ser o próximo grande retorno: em junho de 2019, a fintech levantou dinheiro e alcançou uma avaliação de US$ 5,5 bilhões. Stafford trabalhou anteriormente na Goldman Sachs.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).