Vodafone desafia Deutsche Telekom

Operadora de telefonia fecha acordo de US$ 21,8 bi com a Liberty Global

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:

Operadora de telefonia fecha acordo de US$ 21,8 bi com a Liberty Global

Acessibilidade


A Vodafone aceitou pagar US$ 21,8 bilhões para comprar ativos da Liberty Global na Alemanha e no leste europeu, armando-se com uma gama mais ampla de serviços de TV a cabo, banda larga e celular, na disputa com rivais.

LEIA MAIS: Lua receberá primeira rede de telefonia móvel

A Vodafone fechou um acordo com John Malone, pioneiro do setor de TV a cabo, após anos de negociações para se tornar uma força europeia a desafiar o domínio de gigantes como a Deutsche Telekom.

O grupo alemão enfatizou sua oposição já declarada ao acordo e a Vodafone provavelmente enfrentará uma longa revisão regulatória em Bruxelas. É possível que a Deutsche Telekom argumente que o acordo deve, pelo menos, levar a uma flexibilização dos regulamentos que enfrenta no mercado doméstico.

O acordo coloca a Vodafone de volta como protagonista na Europa, onde luta para ser um dos poucos players com escala necessária para fornecer toda gama de serviços de entretenimento e comunicações que os consumidores desejam.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Na Europa, a Vodafone começou historicamente como a rival em dispositivos móveis em todos os mercados. Com o tempo, estabelecemos uma presença fixa e agora, com essa transação, nos tornamos o maior provedor de serviços convergentes fixos em todos os países europeus”, afirmou o presidente-executivo da Vodafone, Vittorio Colao, a repórteres.

Ele disse que a lógica de unir ativos fixos e móveis se fortaleceu em mercados como a Alemanha, forçando um acordo entre as duas empresas.

LEIA MAIS: Amos Genish, o homem que fez da GVT e da Telefônica Brasil verdadeiros sucessos

“Esta transação criará o primeiro campeão pan-europeu convergente”, disse ele. “Também é uma combinação transformadora para a Vodafone, que se tornará a principal dona de rede da próxima geração na Europa, atendendo ao maior número de clientes móveis e domicílios em toda a UE.”

As empresas previram para meados de 2019 o prazo para uma combinação que inclui a República Tcheca, Hungria e Romênia.

Compartilhe esta publicação: