Huawei prevê mais de 200 milhões de smartphones em 2018

Empresa chinesa busca liderança no setor, à frente da Samsung.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
iStock
iStock

Empresa recentemente ultrapassou a Apple como segunda fornecedora de smartphones

Acessibilidade


A Huawei elevou para mais de 200 milhões de unidades a previsão de vendas de smartphones para o ano todo e informou que pode se tornar a maior fornecedora mundial de aparelhos no último trimestre do ano que vem.

VEJA TAMBÉM: Huawei ultrapassa Apple na venda de smartphones

A gigante chinesa, que recentemente ultrapassou a Apple como segunda fornecedora de smartphones no trimestre encerrado em junho, espera que os embarques para o ano inteiro superem a meta inicial de 180 milhões de unidades, depois de ter enviado mais de 95 milhões de smartphones no primeiro semestre, disse hoje (3) o presidente-executivo Richard Yu.

“Acho que não há problema para nos tornamos a número 2 global no próximo ano. No quarto trimestre do ano que vem, é possível nos tornarmos a número 1”, disse Yu em entrevista à Huawei em sua sede em Shenzhen.

Ele atribuiu o crescimento às fortes vendas na Europa e na China, reforçadas por produtos premium, como a série p20, que registrou vendas de mais de 9 milhões de unidades desde o seu lançamento há quatro meses.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O mercado chinês é fundamental para a Huawei, que vem sendo bombardeada nos Estados Unidos, na Austrália e em outros países, devido a preocupações de que a empresa poderia facilitar a espionagem do governo chinês, o que ela tem repetidamente negado.

Yu disse que não há nada que a empresa possa fazer a respeito de ser virtualmente excluída do mercado dos Estados Unidos, onde nenhuma grande operadora vende seus smartphones.

LEIA: Receita da Huawei sobe 15% no 1º semestre

Mas o forte crescimento em alguns outros mercados compensou a perda do mercado norte-americano. O grupo de negócios de consumo da Huawei, que inclui as operações de smartphones, registrou um crescimento de receita de 73% na região que compreende a Europa, Oriente Médio e África (Emea) no primeiro semestre. A receita na China cresceu 37%.

Yu se recusou a fornecer os números de receita semestral para o grupo de negócios de consumo da Huawei, mas disse que a unidade deu a maior contribuição para o número, uma tendência que deve continuar. A unidade respondeu por 39,3% da receita total da Huawei em 2017.

A Huawei superou a Apple para se tornar a segunda maior vendedora mundial de smartphones no trimestre de junho, segundo dados de empresas de pesquisa de mercado.

A projeção anual da empresa para embarques de smartphones representaria um aumento de 31% em 2018, uma forte recuperação após a grande desaceleração no ano passado.

A recuperação da Huawei ocorre no momento em que o mercado chinês de smartphones, o maior do mundo, mostra sinais de maior consolidação para os maiores fornecedores.

LEIA: Best Buy corta laços com chinesa Huawei, diz fonte

Yu disse que a Huawei conseguiu aumentar sua participação global no mercado premium de smartphones com preço acima de US$ 500 no primeiro semestre, para 16,4%, ante 12,8% há um ano.

A Huawei planeja adicionar 10 mil lojas de varejo em todo o mundo antes do final deste ano. A empresa também planeja fazer testes internos de telefones 5G no quarto trimestre deste ano para um lançamento em algum momento do ano que vem, disse Yu.

Compartilhe esta publicação: