Didi investirá US$ 20 mi em SAC após assassinato de passageira

Empresa chinesa está sob pressão desde estupro ocorrido no mês passado.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

Empresa chinesa está sob pressão desde estupro ocorrido no mês passado

Acessibilidade


A empresa chinesa Didi anunciou hoje (5) que investirá ¥ 140 milhões (US$ 20,5 milhões) para melhorar o atendimento ao cliente após o assassinato de uma passageira por um motorista numa corrida a serviço da Didi expôs questões de segurança na empresa.

LEIA MAIS: Didi diz que vai priorizar segurança e não crescimento

O investimento foi citado pelo fundador da Didi, Cheng Wei, em discurso a órgãos reguladores do governo que visitaram a empresa dentro de uma inspeção nacional de aplicativos de transporte compartilhado, afirmou o jornal chinês Beijing Daily.

A Didi tem estado sob pressão desde que uma passageira foi estuprada e assassinada pelo motorista da empresa no mês passado. A equipe de atendimento ao cliente foi criticada após a empresa não ter tomado atitudes diante uma queixa contra o motorista alguns dias antes do assassinato.

A Didi, com patrocinadores que incluem o SoftBank, a Apple e o Uber, é a maior empresa do mundo em número de viagens e está se expandindo globalmente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A empresa disse na terça-feira que implementaria novas medidas para melhorar a segurança de sua plataforma e planeja suspender alguns serviços noturnos na China continental entre os dias 8 e 15 de setembro para implementar essas medidas.

VEJA TAMBÉM: Didi vai investir US$ 1 bi em sua plataforma de serviços automotivos

Em comunicado enviado à Reuters, a Didi confirmou o investimento de ¥ 140 milhões e disse que cooperaria totalmente com a equipe de inspeção visitante.

A empresa disse que uma equipe profissional de atendimento ao cliente de 8 mil pessoas seria criada até o fim deste ano.

O Ministério dos Transportes da China disse que sua equipe de inspeção que visitou a Didi incluiu funcionários dos departamentos de transporte, segurança pública e gerenciamento de emergências do governo.

A equipe visitará outras empresas, incluindo Shouqi e Meituan, financiada pela Tencent, disse o ministério.

Compartilhe esta publicação: