Lista mostra que pelo menos 20 bilionários fizeram doações eleitorais contra Obama

GettyImages/SeanGallup
Dinheiro usado para financiar grupo contra Barack Obama era doado por alguns bilionários famosos dos Estados Unidos

Resumo:

  • O grupo norte-americano Americans for Job Security gastou cerca de US$ 20 milhões entre 2010 e 2012 para apoiar a agenda republicana;
  • Ao expor os nomes de doadores, apareceram bilionários como Charles Schwab e Doris Fisher;
  • Uma análise breve da lista mostrou que a maioria dos doadores do grupo estava no estado da Califórnia;
  • Outro estado bastante representado foi o Texas, com doações feitas por donos de petroleiras e até time de futebol americano.

A Americans for Job Security, um grupo sem fins lucrativos com um nome comum, gastou US$ 5 milhões apoiando republicanos nas eleições de 2010 e US$ 15 milhões denunciando o ex-presidente Obama nas eleições de 2012, mas até esta semana, nunca teve de divulgar de onde vinha o dinheiro para isso.

LEIA MAIS: China busca US$ 2,4 bi em sanções contra caso da era Obama, diz OMC

“Esta é a primeira vez na era Citizens United [organização sem fins lucrativos conservadora] que um grupo de ‘dark money’ [ou dinheiro escuro, como os norte-americanos chamam o capital corporativo investido em partidos e organizações políticas] foi forçado a divulgar seus doadores em um determinado período”, disse Jordan Libowitz, porta-voz do grupo sem fins lucrativos Citizens for Responsability and Ethics in Washington (CREW). Ele se referiu ao caso da Suprema Corte de 2010 que eliminou as restrições anteriores aos gastos políticos.

A Americans for Job Security (AJS) alegou anteriormente que não era uma organização política e, portanto, não precisava divulgar seus doadores. Mas, após anos de litígio, a CREW convenceu a Federal Election Comission (Comissão Federal de Eleições) do contrário. A AJS apresentou uma lista de seus patrocinadores e beneficiários de 2010 a 2012 na última quinta-feira (24).

O maior doador individual do grupo parece ser Charles Schwab, um gigante da corretagem avaliado em US$ 7,8 bilhões. Ao longo de três meses em 2012, ele doou quase US$ 9 milhões. A cofundadora da Gap, Doris Fisher, ao lado dos seus filhos Robert, John e William, doou outros US$ 9 milhões.

Alguns dos nomes dos doadores desapareceram ao longo dos anos. Em 2013, uma agência de vigilância do estado da Califórnia divulgou uma lista de doadores editada após uma investigação. Essa lista mostrava doadores com endereços, em sua maior parte, na Califórnia.

O novo arquivo da FEC mostra doadores bilionários de todo o país. Os falecidos mega doadores republicanos Richard e Helen DeVos doaram US$ 1 milhão ao grupo em outubro de 2012. Os bilionários de petróleo e gás do Texas Richard Kinder, Dan Wilks, Farris Wilks e o falecido proprietário do Houston Texans (time da NFL) Robert McNair também estavam entre quem doou naquele ano. Outros nomes incluem Dennis Washington, de Montana, que ficou rico com mineração e ferrovias, e Leon Black, de Nova York, que fundou a gigante de private equity Apollo. O presidente-executivo da WWE, Vince McMahon, também fez doações, ao lado de sua esposa, Linda McMahon. Donald Trump a nomeou mais tarde para seu gabinete.

LEIA TAMBÉM: Zuckerberg diz que dividir empresas eleva risco em eleições

As empresas de vários bilionários também estão na lista, incluindo a Wynn Resorts, que foi cofundada pelo bilionário Steve Wynn e sua esposa na época, Elaine Wynn (Steve Wynn renunciou ao cargo de presidente e CEO em fevereiro de 2018 e vendeu todas as suas ações da Wynn Resorts), e a Bass Pro Shops, varejista de artigos esportivos fundada e detida majoritariamente pelo bilionário John Morris. A Wynn Resorts contribuiu com US$ 500 mil e a Bass Pro Shops com US$ 50 mil em 2012. (O próprio Morris contribuiu com outros US$ 50 mil, de acordo com o documento).

Em uma carta a FEC, o presidente da AJS, Stephen DeMaura, disse que a lista foi retirada de registros bancários, planilhas e “outros registros”, observando que provavelmente incluía algumas duplicatas. Não foi possível encontrar DeMaura para comentar mais sobre o assunto.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).