Como Bill Gates e outros 12 bilionários estão reagindo à pandemia de coronavírus

ReproduçãoForbes
Bill Gates é a segunda pessoa mais rica do mundo e está sempre atento a causas humanitárias e sociais

Em meio à crescente disseminação do novo coronavírus, a FORBES tem monitorado as reações dos bilionários à pandemia.

Destacamos algumas das principais novidades – e contatamos alguns bilionários diretamente – para entender o que o atual cenário realmente significa para seus negócios, funcionários e expectativas.

LEIA TAMBÉM: 20 mais ricos do mundo perdem mais de US$ 78 bilhões com surto de coronavírus em um único dia

Algumas das pessoas mais ricas do mundo estão fazendo doações para ajudar os países mais afetados pela pandemia e até assumindo compromissos financeiros apesar dos cancelamentos de eventos.

Veja, na galeria de fotos a seguir, o que algumas das pessoas mais ricas do mundo disseram à FORBES sobre como estão enfrentando a pandemia e suas expectativas:

  • Jack Ma, fundador do Alibaba

    Patrimônio: US$ 40,5 bilhões

    A segunda pessoa mais rica da China prometeu US$ 14 milhões de sua fundação para ajudar a desenvolver uma vacina contra o vírus e disse, na sexta-feira (13), que doaria 500.000 kits de testes e 1 milhão de máscaras para os Estados Unidos.

  • Bill Gates, cofundador da Microsoft

    Patrimônio: US$ 103,6 bilhões

    A segunda pessoa mais rica do mundo anunciou que a Fundação Bill e Melinda Gates doará US$ 100 milhões para ajudar na detecção, isolamento e tratamento do vírus em nível global.

  • Vincent Bolloré, CEO do Grupo Bolloré da França

    Patrimônio: US$ 3,8 bilhões

    Bolloré garante não estar preocupado com o impacto do coronavírus em sua empresa. “Nosso grupo existe desde 1822. Passamos por revoluções, duas guerras mundiais e muito mais. Então nós temos que nos adaptar.”

  • Steven Sarowitz, fundador e presidente da empresa de pagamento Paylocity

    Patrimônio: US$ 1,7 bilhão

    O bilionário está restringindo as suas viagens e as de sua família. “Embora o sofrimento e as mortes provocadas pelo coronavírus sejam trágicos, também há um lado positivo: mostra como todos nós estamos interconectados e que todos devemos confiar uns nos outros, trabalhando juntos para combater essa ameaça. Além disso, com menos viagens, as famílias passam mais tempo juntas em casa. Pessoalmente, estou emocionado por ter uma trégua na minha agenda de viagens pesadas e ter a chance de passar mais tempo em casa com meus filhos. Por fim, desastres naturais como pragas e terremotos tendem a aumentar nossa crença em Deus e nos ajudam a escapar da prisão do materialismo em que nos trancamos.”

  • John Pritzker, fundador e CEO da Geolo Capital, cujos investimentos atuais incluem sete hotéis nos EUA

    Patrimônio: US$ 2,6 bilhões

    “Estou focado no distanciamento social, na higiene e na importância das pessoas ao nosso redor fazerem o mesmo. Estou em um regime de vitamina C/A e B3 e muito exercício. Se funcionar, ficarei emocionado. Caso contrário, ficarei triste por não ter gasto meu tempo em descansar e tomar sorvete. Meus filhos pensam que estou com febre apocalíptica. Felizmente, minha neta me acha incrível, mas ela ainda não pode falar nem andar.” Pritzker continua dizendo que, como está no setor de hospitalidade, é, neste momento, a ponta da lança. “Esperamos o melhor, mas estamos nos preparando para algo pior. Estamos em uma posição privilegiada, mas suspeito que haverá um alto grau de sofrimento do proprietário antes que isso acabe.”

    Ao ser questionado sobre o que mais o preocupa, o bilionário disse: “Com o desconhecido. A gripe existe há mais de 2.000 anos. O Covid-19 há 3 meses. Preocupo-me com os impactos sociais e de saúde – o sistema pode lidar com uma pandemia? Também me preocupo com as implicações pós-pandemia. Falências, empregos perdidos, maior disparidade de riqueza… É fácil se tornar distópico, por isso prefiro minha própria visão, que se baseia na música ‘Ac-Cent-Tchu-Ate the Positive’ [de Bing Crosby]”.

  • Eric Yuan, fundador da empresa de videoconferência Zoom

    Patrimônio: US$ 5 bilhões

    O bilionário decidiu tornar seu serviço gratuito para uso ilimitado nas regiões afetadas – primeiro a China e agora a Itália e o ensino médio nos Estados Unidos. “Eu disse à equipe que, no caso de crises como essa, não podemos nos aproveitar para vender ou fazer ações de marketing. Vamos nos concentrar em nossos clientes”, diz Yuan. “Se você aproveitar essa oportunidade por dinheiro, vai mergulhar em uma cultura horrível.”

  • Jim McKelvey, cofundador e membro do conselho da Square

    Patrimônio: US$ 1,2 bilhão

    Ele diz que sua família acabou de cancelar uma viagem à Itália e está se no aconchego do lar. “Estamos convidando nossos familiares mais velhos para ficarem conosco em St. Louis, que tem um dos melhores sistemas de saúde dos Estados Unidos. Se ocorrer uma crise, é onde queremos estar”, conta. “Eu me preocupo que idosos e pessoas pobres não sejam capazes de obter cuidados suficientes.”

  • Stewart Rahr, que vendeu a distribuidora farmacêutica familiar Kinray para a Cardinal Health

    Patrimônio: US$ 2,3 bilhões

    Rahr garante que não está em pânico. “Atualmente, vemos isso como uma questão de um a dois trimestres. Continuamos monitorando de perto e procurando oportunidades. Atualmente, temos muito dinheiro e nenhuma dívida, o que nos permite comprar com desconto ou aproveitar boas condições.”

  • Mohammed Dewji, CEO do MeTL Group da Tanzânia

    Patrimônio: US$ 1,6 bilhão

    O bilionário diz que cancelou todos os planos de viagem programados para a Europa e os Estados Unidos, está limitando sua exposição a públicos pequenos e cancelou sua participação em todas as principais conferências, fóruns e reuniões nos países afetados. “Meus colegas instalaram desinfetantes automatizados para as mãos em seus escritórios”, conta. “Os preços das commodities caíram e, como estamos no comércio e também na indústria, fabricando produtos, certamente fomos afetados. Isso vale para os mercados de petróleo e óleos comestíveis, que também entraram em colapso e afetaram nossos negócios. Os fornecedores também atrasaram a entrega de matérias-primas devido ao Covid-19”, explica. “Minha maior preocupação são os meios de subsistência das pessoas – eu realmente rezo para que o vírus se contenha para que tenhamos menos fatalidades, menos infecções e recuperações mais rápidas. Espero que todos os governos trabalhem em estreita colaboração para implantar recursos coletivamente e evitar um surto ainda mais generalizado.”

  • Herbert Wertheim, fundador da Brain Power Inc.

    Patrimônio: US$ 2,7 bilhões

    O bilionário conta que planejava embarcar no The World – o maior navio residencial de luxo da Terra, onde possui três apartamentos -, mas o cruzeiro foi cancelado. “Tenho a sensação de que não estou me dando conta de como tudo isso é assustador. É assustador do ponto de vista econômico, mas não temo pela minha saúde pessoal.”

  • Brian Chesky, CEO do Airbnb

    Patrimônio: US$ 4,1 bilhões

    Brian Chesky anunciou no Twitter que a empresa permitirá que clientes de todo o mundo cancelem suas reservas e recebam o dinheiro de volta.

  • Ken Griffin, proprietário da Citadel

    Patrimônio: US$ 12,5 bilhões

    O bilionário prometeu US$ 7,5 milhões para uma das províncias mais atingidas da China.

  • Ted Leonsis, proprietário do Washington Wizards (NBA), do Capitals (NHL), do Washington Mystics (WNBA), das duas equipes da Arena Football e da Capital One Arena, em Washington DC

    Patrimônio: US$ 1,4 bilhão

    Theodore Leonsis anunciou que pagaria todos os 500 organizadores, pessoal de operações e funcionários que estavam programados para trabalhar até o final de março, apesar de os locais estarem fechados.

Jack Ma, fundador do Alibaba

Patrimônio: US$ 40,5 bilhões

A segunda pessoa mais rica da China prometeu US$ 14 milhões de sua fundação para ajudar a desenvolver uma vacina contra o vírus e disse, na sexta-feira (13), que doaria 500.000 kits de testes e 1 milhão de máscaras para os Estados Unidos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).