“A transformação digital é o novo normal”, diz Carlos Ferreirinha sobre mercado de luxo

Divulgação
Sócio-Fundador da Bento Store, Ferreirinha monitora a crise diariamente em seus negócios

A atual crise financeira é única, pois atinge a todos os setores de todos os mercados. Foi sobre isso que Carlos Ferreirinha, uma das maiores referências do mercado de luxo brasileiro e sócio-fundador da Bento Store, conversou com a jornalista Fabiana Scaranzi em entrevista para o canal no Youtube da Forbes Brasil.

Ferreirinha monitora a crise de perto. O empresário comparou a situação nacional a países europeus e aos Estados Unidos, e esclarece que a maioria das marcas de luxo cessaram suas operações nesses lugares. “No Brasil, ainda percebemos um crescimento orgânico do e-commerce porque estamos distantes do que foi ou está sendo o terror da Europa e dos Estados Unidos.” Sobre a retomada das marcas de luxo, ele usa como exemplo a China, que está se recuperando aos poucos, com apenas 50% do seu tráfego, de maneira faseada.

LEIA MAIS: Como levar um negócio do mundo físico ao virtual em poucos dias

O especialista falou também sobre a adoção do e-commerce mesmo após a crise. “A transformação digital já é uma verdade no mercado há dez ou 15 anos”, afirmou. Ele explicou que o mercado de luxo sempre foi muito resistente, mas é necessário entender que a “transformação digital é o novo normal”. Segundo ele, para os negócios, o e-commerce agora é essencial, a crise só oficializou esse fato.

Para Ferreirinha, “muito do que nós faremos agora, na verdade nós já poderíamos ter feito antes.” Muitas das mudanças vêm melhorando as experiências do consumidor e tornando os negócios mais eficientes, solucionando problemas que já existiam antes. Como ele descreveu, os produtos se tornarão secundários em lojas física, e essa era uma tendência que já existia antes da crise.

De acordo com ele a pandemia, trará perdas irreversíveis, e fará com que negócios quebrem. “Limitações muitas vezes não são fracassos, são ciclos”, disse. Por isso, a energia que a crise gera deve ser transformada em algo aproveitável e renovável, mesmo que seu negócio afunde, aproveite a experiência para se tornar um empreendedor melhor, defende.

Quanto às grandes marcas, que sobreviverão à crise, Ferreirinha explica que a comunicação nunca foi tão valorizada. Para manter suas vendas, elas estão apostando no relacionamento com o cliente, marketizando principalmente a responsabilidade social. Ele frisou, porém, que, para ser genuíno, esse engajamento solidário deve continuar mesmo após a crise e não ser usado como um “band-aid”. “Ao final desta travessia, pelo menos em uma primeira fase de retomada, o consumidor terá preferência por marcas que olharam para o cliente e se posicionaram de forma mais empática”, pontuou.

Confira a entrevista completa com Carlos Ferreirinha, com mais dicas e opiniões sobre a crise, abaixo. Para outras conversas com diversos entrevistados, acesse o canal da Forbes Brasil no Youtube.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).