Alibaba vai investir US$ 28 bi em serviços de nuvem após coronavírus elevar demanda

Reuters / Ally Song
Reuters / Ally Song

A empresa já domina a indústria de serviços de nuvem chinesa

A Alibaba disse que investirá 200 bilhões de iuans (US$ 28 bilhões) em sua infraestrutura de computação em nuvem ao longo de três anos, após um boom na demanda na China por softwares de negócios em meio à pandemia de coronavírus.

A empresa afirmou que investirá os recursos para desenvolver semicondutores e sistemas operacionais, e montar infraestrutura de data center.

LEIA MAIS: Fundações Jack Ma e Alibaba doam milhões de máscaras em meio às ações filantrópicas da China para o combate do coronavírus no mundo

Além de a maioria dos funcionários de escritório da China ter trabalhado de casa em fevereiro, a empresa que domina o setor de nuvem no país viu disparar o uso de seus softwares, principalmente o DingTalk, aplicativo de bate-papo usado por empresas e escolas.

Os usuários se queixaram de atrasos no aplicativo devido ao alto volume de atividade. A empresa reconheceu os problemas no Weibo, o site de rede social chinês.

O presidente da Alibaba Cloud Intelligence, Jeff Zhang, disse em comunicado que a pandemia da Covid-19 “colocou um estresse adicional na economia geral entre os setores” e a empresa espera que o investimento ajude as empresas a “acelerar o processo de recuperação”.

A divisão de nuvem do Alibaba é um dos negócios que mais cresce. A receita do quarto trimestre subiu 62%, para 10,7 bilhões de iuans, a primeira vez que alcançou 10 bilhões de iuans em um trimestre.

A gigante da tecnologia tinha 46,4% do mercado de nuvem da China no quarto trimestre, segundo a empresa de pesquisa Canalys. Tencent Cloud e Baidu Cloud, que também viram a demanda por seus produtos crescer, tinham 18% e 8,8% do mercado, respectivamente. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).