Conheça o “Free Fire”, o game de celular mais jogado no Brasil

Divulgação/Garena Free Fire
Com média mensal de 10,8 milhões de downloads, receita geral do eSport foi de US$ 37 milhões em 2018

Resumo:

  • Os brasileiros são os que mais jogam “Free Fire”, com uma média mensal de 10,8 milhões de downloads e quase duas horas de tempo gasto dentro do game;
  • INTZ, Red Canids e Vivo Keyd são times consagrados nos eSports e vão disputar a final de Free Fire Pro League 2019 amanhã (20);
  • A receita geral do jogo foi de US$ 37 milhões em 2018.

Amanhã (20), acontece em São Paulo a 2ª temporada da Free Fire Pro League 2019. Ao todo, 12 equipes disputam a final do battle royale para levar R$ 35 mil. O Panorama Mobile Time/Opinion Box (pesquisa de hábitos dos brasileiros no consumo de conteúdos mobile) revelou que game para celular é hoje o mais jogado no país.

LEIA MAIS: BBL foca em broadcast de eSports para crescer

Com faturamento de US$ 37 milhões, em 2018, o jogo tem download gratuito, e o sucesso financeiro é fruto da venda de roupas, armas e itens dentro do jogo, com valores entre R$ 0,99 e R$ 429,99 por item.

Segundo dados do site analítico SimilarWeb, em junho, o jogo teve 9,3 milhões de downloads (com um pico de 13,2 milhões em março e uma média mensal de 10,8 milhões), 4,54 milhões de usuários ativos diariamente e um tempo gasto médio de quase duas horas, apenas no Brasil. O melhor jogador é um brasileiro. Ariano “Kronos” Ferreira foi considerado o MVP (Most Valuable Player) na Copa do Mundo do jogo, que aconteceu em abril, na Tailândia.

O sucesso nacional do game supera os maiores mercados de games do mundo: China (81,3 mil downloads mensais) e Estados Unidos (392,7 mil). Segundo o App Annie, o jogo foi o quarto mais baixado do planeta, em 2018. Em maio deste ano, foram mais de 450 milhões de usuários registrados e mais de 50 milhões de usuários ativos diários.

A final do Brasileirão de “Free Fire” contará com as equipes Brabox, Ryze United, Warriors Line, Stars, Lendários, Loud, New X, Ice Death, AJAX eSports, Vivo Keyd, Red Canids Kalunga INTZ. As três últimas (com times relevantes no competitivo de “League of Legends”, “Rainbow Six Siege” e “CS:GO”) se classificaram devido à performance na 1ª temporada da Free Fire Pro League.

Disputada nos estúdios Quanta, a partir das 14h, a competição terá 48 pro players disputando oito partidas; em que a equipe com mais pontos acumulados, coletados a partir de abates e posição final, consagra-se como campeã.

Presencialmente, são esperados 700 espectadores. A transmissão das partidas que definiram os finalistas registrou um pico de 198.607 espectadores simultâneos. Nesta temporada, o número total de visualizações no YouTube e Facebook chegou a 11 milhões.

A final

A New X foi a a grande campeã da Free Fire Pro League 2019. O time faturou R$ 35 mil e superou os times veteranos Vivo Keyd (2º), e Red Canids (4º). Além disso, o time profissional garantiu vaga para o Free Fire World Series, que acontece em novembro, no Brasil. A competição mundial será realizada no Rio de Janeiro, no dia 16, e terá premiação total de US$ 400 mil – quatro vezes maior do que a anterior disputado na Tailândia.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).