Ibovespa dispara com Bradesco e Petrobras

REUTERS
Ibovespa dispara desde a abertura com ações de bancos e Petrobras

O Ibovespa dispara alta desde a abertura dos negócios de hoje (5), acompanhando o bom humor nas bolsas internacionais e um noticiário intenso aqui no Brasil.

Às 10h30, horário de Brasília, o índice subia 1,62% aos 117.425 pontos.

LEIA MAIS: Bolsas internacionais com alta

A maior alta do Ibovespa era das ações do Bradesco após a divulgação do balanço da instituição em 2019. O banco anunciou um lucro líquido recorde de R$ 25,887 bilhões no ano passado, num aumento de 20% em relação a 2018, quando registrou R$ 21,564 bilhões.

As ações PN sob o código BBDR4 disparavam 3,99% a R$ 34,42 e as ações ON BBDC3 subiam 3,47% a R$ 32,78.

Ainda como destaques de alta, Banco do Brasil (BBAS3) com valorização de 3,36% a R$ 49,87, Gol (GOLL4) com ganhos de 2,73% a R$ 36,12 e Usiminas (USIM5) com mais 2,55% a R$ 10,04.

Por aqui, os investidores acompanham a venda de ações da Petrobras pelo BNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, que ocorre simultaneamente na B3 e na NYSE, a Bolsa de Nova York. O plano de desinvestimento prevê um aporte de capital de R$ 23 bilhões com a venda de 9,86% das ações ON da Petrobras, num total de 611,8 milhões de ações da estatal.

Pela manhã, as ações ON da Petrobras (PETR3) subiam 1,53% a R$ 31,22 e as ações PN (PETR4) avançavam 1,61% a R$ 29,09.

Na lista das maiores perdas do Ibovespa, Hapvida (HAPV3) com queda de 0,67% a R$ 61,76, IRB (IRBR3) com menos 0,61% a R$ 41,54, Santander (SANB11) com desvalorização de 0,59% a R$ 42,45, B3 (B3SA3) que caía 0,56% a R$ 50,24 e Hypera (HYPE3) com recuo de 0,48% a R$ 37,92.

Após o encerramento dos negócios, o Copom, Comitê de Política Monetária do Banco Central, vai divulgar sua decisão sobre a taxa básica de juros do país após reuniões desde ontem. Hoje, a Taxa Selic está em 4,5% ao ano e a maioria das apostas do mercado é por um corte de 0,25 ponto percentual para um total de 4,25% ao ano.

No mercado de câmbio, o dólar tem queda em relação ao real pressionado pela forte entrada de moeda norte-americana no país com a compra de ativos no mercado acionário, em especial, ações do Bradesco e Petrobras. O dólar caía 0,46% a R$ 4,23 pela manhã, e o euro também seguia com desvalorização, perdendo 0,71% a R$ 4,66.

****

Luciene Miranda é jornalista especializada em Economia, Finanças e Negócios com coberturas independentes na B3, NYSE, Nasdaq e CBOT

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).