EUA e México concordam em limitar viagens não essenciais por fronteira comum

Medida é mais uma tentativa de conter a disseminação do novo coronavírus.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
ReutersConnect/Jonathan Ernst
ReutersConnect/Jonathan Ernst

Representantes de México e EUA concordaram que a decisão vai diminuir a entrada ilegal na fronteira e aumentar a segurança momentânea contra o coronavírus

Acessibilidade


Os Estados Unidos e o México concordaram em limitar as viagens não essenciais na fronteira comum na tentativa de conter a disseminação do novo coronavírus, disse o presidente norte-americano, Donald Trump, durante uma coletiva de imprensa na Casa Branca hoje (20).

Trump também anunciou que seu governo invocará um estatuto voltado para a saúde para impedir que imigrantes de qualquer uma das fronteiras entrem nos EUA ilegalmente, dizendo que a imigração ilegal ameaça “criar uma tempestade perfeita” quando combinada ao vírus.

LEIA MAIS: Engenheiros italianos fazem peças de respiradores com impressão 3D para ajudar pacientes com Covid-19

As medidas de viagens “não essenciais” restringirão o turismo na fronteira, e as medidas contra a imigração ilegal permitirão aos EUA devolver imigrantes centro-americanos e mexicanos que prender rapidamente, disse o ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, na Cidade do México.

Ebrard disse que acertou com contrapartes norte-americanas que viagens médicas, de comércio e trabalho não serão restringidas na divisa, comentários ecoados pelo secretário de Segurança Interna interino Chad Wolf na Fox News.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Cerca de 3 milhões de veículos pessoais cruzaram legalmente a cada mês de 2019 entre San Diego, na Califórnia, e a cidade mexicana fronteiriça de Tijuana, de acordo com dados do Departamento dos Transportes dos EUA.

Uma autoridade dos EUA disse que as restrições não impactarão as remessas ferroviárias ou rodoviárias que atravessam a fronteira.

LEIA TAMBÉM: Economia não pode parar por coronavírus, diz Bolsonaro a empresários

Até o momento, os EUA têm muito mais casos confirmados e mortes causadas pelo coronavírus do que o México.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: