Ibovespa volta a patamar pré-Carnaval

GettyImages
O volume financeiro somou R$ 29 bilhões

A bolsa paulista fechou hoje (4) com o Ibovespa em alta, acompanhando Wall Street e com exportadoras entre as maiores altas diante de nova máxima do dólar ante o real, enquanto IRB Brasil RE despencou mais de 30% diante de uma grave crise de confiança na resseguradora.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 1,6%, a 107.224,22 pontos, recuperando níveis pré-Carnaval. O volume financeiro somou R$ 29 bilhões, sendo que apenas as ações do IRB Brasil RE negociaram o equivalente a R$ 2,9 bilhões.

Em Nova York, resultados de primárias que colocaram o moderado Joe Biden como potencial candidato do Partido Democrata para disputar a eleição norte-americana contra o presidente Donald Trump, republicano, trouxe ânimo aos negócios. Agentes financeiros ainda digeriram o corte de juros pelo Federal Reserve ontem (3), em razão do surto do coronavírus.

VEJA MAIS: Dólar ronda estabilidade ante real, mas renova máxima histórica

“O mercado sofreu na terça-feira com o inesperado corte de juros pelo Fed, imaginando que o BC norte-americano estaria vendo uma desaceleração maior que a esperada e na expectativa do resultado da Super Terça. Hoje, já acordou mais tranquilo com o resultado e sinalização de união entre democratas”, citou o gestor Ricardo Campos, sócio na Reach Capital.

Em Wall Street, o S&P 500 fechou em alta de 4,2%.

Em meio a preocupações sobre os reflexos no Brasil do surto global do novo coronavírus e com a atividade local ainda frágil, conforme mostraram dados do PIB de 2019, também repercutiu comunicado do Banco Central que destacou que monitora atentamente os impactos do coronavírus nas condições financeiras e na economia brasileira

“A nota enviada pelo Banco Central mostra uma clara mudança em relação ao último comunicado, de que pararia o ciclo de afrouxamento monetário, e ajuda a alta das ações, bem como a valorização do dólar ante o real”, acrescentou Campos, da Reach.

No mercado de câmbio, o dólar fechou em alta de 1,55%, a R$ 4,5806, cotação nominal recorde. No ano, o dólar spot dispara 14,15%, o que coloca o real na liderança isolada das maiores perdas entre 33 rivais da divisa dos EUA.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).