Grupo de vacinação levanta US$ 8,8 bilhões para campanhas de imunização em países pobres

ReutersEddie-KeoghFile-Photo
A Gavi é uma parceria público-privada apoiada por diversas fundações e organizações

O grupo de vacinação Gavi informou hoje (4) que levantou US$ 8,8 bilhões em doações de governos, empresas e fundações filantrópicas para financiar seus programas de imunização até 2025.

Em uma cúpula de financiamento em Londres, o Gavi disse que as promessas de doação superaram a meta de US$ 7,4 bilhões, e vão ajudar a “imunizar mais de 300 milhões de crianças nos países mais pobres do mundo contra doenças como sarampo, poliomielite e difteria”.

LEIA MAIS: Governo dos EUA seleciona 5 candidatas a vacina contra coronavírus como finalistas

A Gavi é uma parceria público-privada apoiada pela Fundação Bill & Melinda Gates, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo Banco Mundial, pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e outros, que organiza compras em grande escala para diminuir os custos das vacinas em países pobres.

Ontem (3), o grupo disse que deve lançar um compromisso adiantado de mercado (AMC) para futuras vacinas contra a Covid-19, o que diz que ajudará a garantir o acesso de países mais pobres à imunização contra o novo coronavírus.

O mecanismo AMC deve proporcionar incentivos para os fabricantes de vacina investirem em uma capacidade de produção de larga escala mesmo durante o desenvolvimento de novos produtos e antes de testes em massa mostrarem que elas funcionam, disse o executivo-chefe da Gavi, Seth Berkley, à Reuters. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).