Por que, em meio à crise da gastronomia, a plataforma multibusiness Heavy foca em uma marca de comida

Divulgação
Divulgação

Quatro dos sócios da Heavy (da esq. para a dir.): Arnaldo Camorim, Franco Frugiuele, Filipe Levy e Saulo Henrique

Conhecidos principalmente pelo selo de festas Heavy Love e pelo bar Heavy House, localizado em Pinheiros, na região oeste de São Paulo, os cinco amigos e sócios Arnaldo Camorim, Filipe Levy, Franco Frugiuele, Beto Chuquer e Saulo Henrique contam que tiveram de quebrar a cabeça para buscar uma solução quando a pandemia do novo coronavírus chegou e impediu que eles fizessem o que fazia o negócio andar: aglomerações.

“O último dia de operação [da Heavy House] foi 14 de março. Uma semana depois, ninguém sabia o que estava acontecendo. Paramos, conversamos para analisar materiais antigos de planejamento e estruturamos um plano já pensando em como seria o mundo pós-pandêmico”, conta Camorim. Os sócios saíram com um projeto de reposicionamento que inclui um braço voltado para ações sociais –pegando gancho na tendência dos “negócios com propósito”–, uma linha fashion e o lançamento de uma marca gastronômica focada em delivery, a Heavy Sauce.

LEIA MAIS: EXCLUSIVO: Com aposta em varejo e e-commerce, Easy Drinks lança dois novos produtos e registra crescimento inédito

“Já tínhamos algo muito bom lá dentro. Começamos a ver nossos dados e pensamos: ‘Precisamos dar cara nova e estruturar o delivery’”, conta Henrique. “Já era algo que queríamos fazer: fortalecer a cozinha.” Segundo ele, a gastronomia tem sustentado o negócio que dependia de pessoas. “O Heavy Sauce não é um sucesso financeiro. Temos 20% do tínhamos antes, mas já pensando na nova cara que queremos dar para a casa”, completa.

Divulgação
Divulgação

O combo Heavy Chicken, com sanduíche de frango empanado

Ele refere à mudança de conceito da Heavy House, que reabre no dia 1º de agosto, com capacidade reduzida e seguindo todos os procedimentos de segurança recomendados. A nova atmosfera terá foco no restaurante e uma curadoria artística. Uma continuação “de forma segura”, como diz Camorim. O bar deve passar por uma reformulação e o cardápio deve ganhar carta de drinques “Queremos aumentar ticket médio e permanência. Temos uma preocupação com a maneira como as pessoas enxergam a Heavy. Queremos mostrar que a casa mudou, mas que é legal também”, fala Camorim.

O delivery, que segurou as pontas da plataforma e ganhou foco especial nas redes sociais, segue firme, com cardápio enxuto. Destaque para o bom sanduíche Heavy Chicken (sobrecoxa crunchy com os molhos heavy sauce e heavy mayo, alface, tomate e picles de cebola no pão de batata, R$ 28), que chega à casa do cliente crocante e com montagem intacta. Das mãos do chef Bruno Linhares também saem lanches como o Heavy Pork (R$ 26), de pernil assado por dez horas, e Bacon Burger, blend da casa, cheddar, bacon e molho barbecue, no pão de batata, por R$ 30.

Pedidos podem ser feitos via Rappi, iFood ou pelo telefone (11) 94933-3763.

***
Linha de congelados de Renata Vanzetto

Divulgação

A chef Renata Vanzetto acaba de lançar a linha Congelados de Família, no restaurante Muquifo. Entre os pratos, Couve-flor assada e molho de parmesão (R$ 30), Strogonoff –em versões com filé mignon e cogumelos frescos (R$ 32), frango e cogumelos frescos (R$ 25) e alcachofras e cogumelos (R$ 34)–, Carne de panela com vegetais (R$ 32) e acompanhamentos como Arroz de brócolis (R$ 8, 250g). Os produtos estão disponíveis no restaurante ou podem ser pedidos pelo iFood ou pelo telefone (11) 98232-7677.

***

Novos portugueses na Mistral
A importadora Mistral acaba de receber dois rótulos da expoente vinícola portuguesa Quinta da Pellada, na região do Dão. A propriedade de 60 hectares e solo de granito, areia e argila, tem vinhas de encruzado, cercial, touriga nacional, tinta roriz, jaen, alfrocheiro e baga. as novidades são os elegantes tintos Quinta da Pellada Jaen 2015 e Quinta da Pellada Tounot DOC 2016. Ambos custam R$ 1.084,08.

***

Chocolate para a alma

Divulgação

O espaço CHOCO Bean to Bar, localizado no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo, e idealizado pela tradicional chocolateria Chocolat du Jour acaba de lançar uma nova linha de barras, com sabores consagrados da casa e duas opções sem açúcar. Os chocolates (80 g a R$ 25 cada uma) ganharam nomes que evocam bem-estar como Alegria (chocolate ao leite com macadâmia), Bliss (chocolate orgânico com café) e Nirvana (chocolate zero açúcar).

***

Provado e aprovado
O japonês de J1, de Jun Sakamoto, localizado no shopping VillaLobos, está reaberto com capacidade reduzida. O local tem iguarias famosas do chef e uma sessão inteira dedicada a carnes, além de sobremesas. O delivery da casa, lançado durante a pandemia, segue. O cardápio enxuto tem combinados fechados como o J1 Sakamoto com 18 unidades, entre sashimi, sushi, uramaki e baterá (R$ 92). O combo chega em embalagem impecável.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).