Ibovespa abre semana em baixa com recuo do preço do petróleo

Getty Images
Getty Images

Às 10h53, o Ibovespa, principal índice da bolsa paulista, mostrava baixa de cerca de 2%, a 77.436 pontos

O mercado acionário brasileiro iniciava hoje (20) com tendência negativa, uma vez que novas rodadas de fortes baixas dos preços internacionais do petróleo exerciam pressão sobre as ações da Petrobras.

Às 10h53, o Ibovespa, principal índice da bolsa paulista, mostrava baixa de cerca de 2%, a 77.436 pontos. O giro financeiro da sessão era de R$ 6,8 bilhões.

LEIA MAIS: Ibovespa fecha segunda semana em alta com notícias sobre tratamento contra a Covid-19

No dia que deve ser de volume mais moderado de negócios no mercado doméstico, já que o feriado nacional de Tiradentes paralisa as transações amanhã (21), participantes do mercado buscavam referência entre os sinais mistos dos mercados globais.

O que predominava na B3 era a sinalização bastante negativa das bolsas norte-americanas, uma vez que outra derrocada dos preços do petróleo empurrava ladeira abaixo os papéis de empresas de petróleo e gás.

Os futuros da commodity nos EUA tocavam mínimas desde 1999 por preocupações com os crescentes estoques, levando a temores de que as petrolíferas tenham que reduzir a produção de maneira forçada para fazer frente à queda na demanda devido à esperada recessão global gerada pelos efeitos da pandemia de coronavírus.

Esse viés negativo era aliviado apenas em parte pelo desempenho mais positivo das bolsas europeias, com destaque para ações de laboratórios farmacêuticos, e do desempenho misto das praças asiáticas.

Os índices acionários da China fecharam em alta após uma importante taxa de empréstimo ter sido reduzida pela segunda vez este ano para sustentar a economia. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,36%.

No plano doméstico, os investidores repercutem nova rodada de piora nas projeções de atividade econômica no boletim semanal Focus, do Banco Central. A edição publicada nesta manhã mostrou que o mercado já prevê queda de cerca de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2020, queda de 1 ponto percentual em apenas uma semana.

VEJA TAMBÉM: Ibovespa avança 2% com esperanças sobre alívio em quarentenas

Profissionais do mercado observam ainda que o panorama político está mais presente nos negócios, após a participação do presidente Jair Bolsonaro em ato em que eram exibidas faixas em defesa da intervenção militar, em Brasília.

Após ter sido criticado pelos presidentes da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e por ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Bolsonaro negou hoje que tenha defendido o fechamento do Congresso ou do Supremo, como pediam apoiadores na manifestação.

Em relatório enviado a clientes, a equipe de pesquisa do Bradesco afirmou que ao longo da semana, as atenções do mercado devem se voltar para as divulgações preliminares dos índices PMI de abril na Europa.

“Dada a paralisação das economias, espera-se que os resultados sejam ainda mais fracos do que os observados em março”, afirmou a equipe do Bradesco no relatório. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).