Com impulso de vendas online, Lojas Americanas supera impacto da Covid-19 no 1º trimestre

A receita da operação digital da Lojas Americanas teve um salto de 32,3%, para R$ 1,7 bilhão

A Lojas Americanas teve leve melhora dos resultados no primeiro trimestre, uma vez que o forte crescimento das vendas em seu braço digital mais do que compensou os primeiros impactos do isolamento social sobre suas lojas físicas.

A companhia anunciou ontem (7) que teve receita líquida de R$ 4,06 bilhões entre janeiro e março, aumento de 14,2% na comparação com um ano antes. A receita da operação digital teve um salto de 32,3%, para R$ 1,7 bilhão.

LEIA MAIS: Lojas Americanas tem lucro 62% maior no 4º trimestre

Por outro lado, com o início do distanciamento social a partir da segunda quinzena de março, a plataforma física foi impactada pelo fechamento de lojas. A suspensão de funcionamento atingiu principalmente lojas em shopping centers (cerca de 30% do total) mas também impactou de forma pontual as lojas de rua.

Ainda assim, a receita no conceito mesmas lojas foi 2% maior. As lojas de rua tiveram crescimento de 6,5% e as lojas de shopping centers apresentaram queda de 4,2%.

O resultado operacional da Lojas Americanas no trimestre, medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 587,7 milhões, aumento de 4,8% ano a ano. A margem Ebitda caiu 1,3 ponto percentual para 14,5%.

Segundo a Lojas Americanas, um efeito adicional das medidas de contenção da pandemia foi a mudança na demanda, com forte queda em itens como vestuário, brinquedos, enquanto produtos de higiene, cuidado com bebês e bebidas avançaram fortemente.

A companhia teve prejuízo líquido de R$ 49,2 milhões no trimestre, perda 8% menor do que em igual etapa de 2019.

A Lojas Americanas afirmou ter fechado março com caixa e equivalentes de caixa de R$ 12,8 bilhões. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).