Embraer acerta financiamento para exportações de até US$ 600 milhões

Acerto com o BNDES foi condicionado ao compromisso da empresa de manter empregos por dois meses

Redação
Compartilhe esta publicação:
Roosevelt Cassio/Reuters
Roosevelt Cassio/Reuters

Acerto da Embraer pelos empréstimos foi feito com o BNDES e bancos comerciais

Acessibilidade


A Embraer informou ontem (15) que acertou uma linha de capital de giro para exportação de até US$ 600 milhões, com prazo de até quatro anos.

Do total, até US$ 300 milhões virão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com o restante por bancos comerciais.

VEJA TAMBÉM: Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, e fique por dentro de tudo sobre empreendedorismo

Em comunicado, a fabricante de aeronaves afirmou que a linha reforçará sua posição de caixa e que segue “avaliando formas adicionais de financiamento, de maneira a manter um perfil de endividamento de longo prazo”.

O acerto da linha foi condicionado ao compromisso da empresa de manter empregos por dois meses, disse à Reuters o superintendente da área industrial do BNDES, Marcos Rossi. O banco também impôs restrições à distribuição de dividendos e pagamento de juros sobre capital próprio a acionistas.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Segundo Rossi, apesar do empréstimo se enquadrar numa linha tradicional do BNDES, de pré-embarque, o banco incluiu a cláusula de manutenção de empregos, que faz parte da linha emergencial para empresas afetadas pela pandemia da Covid-19.

O setor aéreo sofre com os efeitos da pandemia com forte redução de receita e demanda. O BNDES discute com um sindicato de bancos desde abril um socorro para companhias aéreas do país.

O modelo prevê uma operação híbrida, incluindo emissão de debêntures e bônus. A Embraer pode ser incluída nessa ajuda, mas o empréstimo de ontem será destinado ao capital de giro.

A demanda inicial da Embraer para essa linha era de até US$ 1 bilhão. Rossi admitiu que a frustração do acordo da Embraer com a Boeing influenciou no tamanho do empréstimo. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: