2W buscará IPO para levantar R$ 1,5 bi e vender energia limpa

GettyImages/ picture alliance
GettyImages/ picture alliance

O IPO será usado para a construção de parques eólicos e solares no Nordeste, visando a venda da produção a clientes de pequeno e médio porte no chamado mercado livre de eletricidade

A comercializadora 2W Energia pretende realizar uma oferta inicial de ações para levantar recursos para a construção de parques eólicos e solares no Nordeste, visando a venda da produção a clientes de pequeno e médio porte no chamado mercado livre de eletricidade, disseram hoje (16) fontes à Reuters.

A operação, que pode ser registrada junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ainda nesta quinta-feira, poderia levantar cerca de R$ 1,5 bilhão para a implementação das primeiras usinas, acrescentaram as fontes, que falaram sob a condição de anonimato porque o negócio não é público.

LEIA MAIS: Mais de meio milhão de empresas no Brasil fecharam na 1ª quinzena de junho por causa de pandemia

BTG Pactual, Credit Suisse, XP Inc e Bank of America vão coordenar a oferta de ações. A Riza Capital também está assessorando a companhia no IPO.

A 2W Energia tem como um dos sócios o ex-fundador da elétrica Renova Energia, Ricardo Delneri.

A primeira fase de projetos, no Rio Grande do Norte, poderia estar operacional até 2024. As obras de um primeiro parque eólico, com 130 MW, já foram iniciadas.

O objetivo da 2W é estabelecer uma plataforma de venda de energia “no varejo” para empresas que atuam no mercado livre de eletricidade, onde grandes consumidores como centros comerciais e indústrias negociam diretamente o suprimento com geradores e comercializadores, segundo uma fonte.

LEIA TAMBÉM: 3 inovações que vão revolucionar o mundo da relojoaria

Enquanto grandes grupos de energia têm buscado vender a produção futura de usinas eólicas e solares para grandes companhias em contratos privados de longo prazo, a meta da 2W é fechar operações mais pulverizadas, em acordos de menor prazo, mas cujas negociações podem resultar em preços médios maiores para os investidores, acrescentou.

Não foi possível falar com representantes da empresa de imediato. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).