Receita do Spotify fica abaixo de estimativas com pandemia afastando anunciantes

Reprodução
Reprodução

Spotify Technology divulgou receita trimestral abaixo das expectativas e previu que o atual trimestre será moderado

O Spotify Technology divulgou receita trimestral abaixo das expectativas hoje (29) e previu que o atual trimestre será moderado, devido principalmente ao declínio nos anúncios, já que a pandemia de Covid-19 afastou os anunciantes.

Os resultados ofuscaram uma recuperação na demanda por streaming de música, à medida que mais usuários se inscreveram em seus serviços e o número de assinantes pagos alcançou 138 milhões, acima das estimativas de Wall Street de 136,4 milhões.

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

O Spotify, que lidera o mercado de streaming de música, à frente de rivais como Apple e Amazon, gera receita com assinaturas pagas e exibe anúncios para usuários gratuitos.

Enquanto os usuários ativos mensais aumentaram 29% para 299 milhões, a receita de anúncios caiu 21% no segundo trimestre.

O vice-presidente financeiro Paul Vogel disse à Reuters em entrevista que, enquanto a publicidade estava melhorando no trimestre atual, havia uma “quantidade razoável de conservadorismo” no mercado. O Spotify espera um crescimento na receita de publicidade este ano, mas será “bastante mínimo”, disse ele.

O Spotify espera que o total de assinantes pagos atinja a faixa de 140-144 milhões no terceiro trimestre, ante expectativas de 141,4 milhões, segundo dados da Refinitiv.

A receita média por usuário (ARPU) no segundo trimestre foi de € 4,41, uma queda de 9% em relação ao ano anterior.

LEIA MAIS: Presença de negros em tecnologia ainda precisa avançar

A receita total prevista do Spotify é € 1,85 bilhão a € 2,05 bilhões no terceiro trimestre. Analistas esperam € 2,01 bilhões.

No trimestre encerrado em junho, a receita aumentou 13%, para € 1,89 bilhão, mas ficou abaixo das estimativas de analistas de € 1,93 bilhão.

O prejuízo líquido atribuível ao Spotify foi de € 356 milhões, ou € 1,91 por ação, em comparação com € 76 milhões ou € 0,42 no ano anterior. Os analistas esperavam uma perda de € 0,45. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).