Ibovespa fecha em queda com agenda carregada de balanços e NY e fiscal no radar

Rodolfo Buhrer/Reuters
Rodolfo Buhrer/Reuters

Ações da BRF fecham em queda de 7,8% e lideram perdas do Ibovespa

O Ibovespa fechou em queda hoje (13), com as ações da BRF despencando quase 8%, em sessão marcada por uma agenda cheia de resultados de empresas e que teve Via Varejo como destaque positivo.

Investidores seguiram atentos a Brasília, principalmente após o presidente Jair Bolsonaro afirmar na véspera que o governo respeita o teto dos gastos e quer a responsabilidade fiscal.

Leia mais: Daimler pagará US$1,5 bi em acordo de processos sobre emissões de diesel

Porém, a “debandada” da equipe econômica do governo trouxe preocupações sobre as perspectivas fiscais do país, principalmente em um momento de forte aumento de gastos para enfrentar a pandemia de Covid-19.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa recuou 1,62%, a 100.460,60 pontos, abandonando na parte da tarde o viés positivo que marcou a primeira etapa do pregão, quando superou os 103 mil pontos. O volume financeiro somou R$ 31,8 bilhões.

“Está difícil de definir um viés neste momento”, afirmou o gestor de uma empresa ligada à previdência complementar com sede no Rio de Janeiro, lembrando que os problemas fiscais já vinham desde antes da pandemia e se acentuaram com a crise. “O teto parece que está protegido nesse momento, mas existem outros riscos e a discussão do Orçamento vai ser bastante importante pra indicar esse nível de risco”, afirmou.

Nesta quinta-feira, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que a reunião na véspera com o presidente, ministros e lideranças foi uma decisão “acertada”, que passa a mensagem de alinhamento em respeitar o teto de gastos em 2021.

Para o analista Rafael Ribeiro, da Clear Corretora, a sinalização de união é importante, mas “enquanto não houver uma medida prática, como um avanço real da agenda de reformas, o lado negativo seguirá pesando”.

Após o fechamento, está prevista uma nova enxurrada de resultados de empresas brasileiras, incluindo B3, JBS, Lojas Americanas, Cyrela, Natura&Co, Equatorial e Suzano.

Leia também: Hedge funds lucram US$ 1 bilhão apostando contra empresas de turismo

Em Wall Street, a ausência de avanços nas negociações sobre novos estímulos fiscais para a economia norte-americana minou o S&P 500 e o Dow Jones, enquanto o Nasdaq Composite subiu com Apple atingindo US$ 2 trilhões em valor de mercado.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse à presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, que estava disposto a avançar com a ajuda contra o Covid-19 em algumas áreas, mas não no financiamento eleitoral. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).