Whatsapp entrará em pagamentos no Brasil "em breve", diz Campos Neto

De acordo com o presidente, além do Whatsapp, o BC está conversando com o Google e outras big techs

Redação
Compartilhe esta publicação:
AnadoluAgency/GettyImages
AnadoluAgency/GettyImages

De acordo com o presidente, além do Whatsapp, o BC está conversando com o Google e outras big techs

Acessibilidade


O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta segunda (16) que o Whatsapp, aplicativo de mensagens do Facebook, entrará em pagamentos no Brasil “em breve” e que a autoridade monetária mantém conversas com o Google nesse sentido, além de outras gigantes de tecnologia que ele não mencionou nominalmente.

Ao ser questionado se o Whatsapp iria entrar em pagamentos dentro do sistema de pagamentos instantâneo Pix ou fora dele, Campos Neto respondeu, em coletiva de imprensa, que a empresa começará com transferências de valores entre pessoas, no desenho conhecido como P2P (‘peer to peer’).

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

“Whatsapp vai entrar, vai começar fazendo P2P em breve. Eu tenho conversado bastante com o CEO do Whatsapp, inclusive ele tem me dito que o processo no Banco Central foi mais rápido do que em outros países”, disse.

“Então a gente está avançando bastante com o processo, vai começar com P2P e depois vai fazer P2M (transferência entre pessoas e estabelecimentos). Nossa única preocupação é passar por todos os critérios de aprovação e que a gente tenha sistema que fomente competição, do mesmo jeito que estamos conversando com Google e com outros”, completou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Além do Whatsapp, o BC está conversando com o Google e outras big techs, pontuou Campos Neto, destacando que há vontade de estar no Brasil, que conta com mercado consumidor “bastante amplo”, com “oportunidade na digitalização”. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: