O que esperar de Wall Street durante o mês de março?

VIEW press/GettyImages
VIEW press/GettyImages

Com avanço da vacinação, mercado financeiro já projeta retorno da normalidade nos EUA

No mês passado, vimos um progresso real em muitas frentes. A vacinação ganhou força nos EUA, a confiança do consumidor e os gastos mudaram e os mercados subiram. Ainda assim, surgiram algumas áreas de preocupação.

Sinais de progresso

Número de casos. Tanto o crescimento de casos quanto as hospitalizações por Covid-19 caíram em mais da metade em fevereiro. As taxas de teste positivo caíram, sugerindo que o declínio foi real. Apesar dos atrasos relacionados à situação climática nos EUA durante parte do mês, a vacinação ganhou ritmo, com 15% da população recebendo pelo menos uma dose da vacina.

Economia. Os cheques do programa de estímulo federal começaram a cair nas contas bancárias, provocando uma recuperação tanto na confiança do consumidor quanto nos gastos. À medida que as notícias sobre a pandemia melhoraram, os estados reabriram, permitindo que as empresas contratassem novamente. A confiança empresarial e os investimentos estiveram cada vez mais fortes durante o mês. Tal como acontece no aspecto sanitário, ainda há muito que fazer. No entanto, especialmente no emprego, houve melhorias notáveis.

Luz no fim do túnel

Um ponto de retomada. No futuro, a implantação da vacina será acelerada. Muitos dos problemas da cadeia de abastecimento foram resolvidos e a disponibilidade deve aumentar substancialmente em março. Além disso, a aprovação da vacina Johnson & Johnson, que é mais simples de armazenar e administrar do que as outras vacinas, deve ajudar a acelerar o processo de implantação. Março parece provavelmente ser o ponto de virada para as vacinações, assim como fevereiro foi para o aumento de casos.

A pandemia não acabou. Embora tenha havido algumas notícias realmente boas, ainda não acabamos com a pandemia. Apesar das quedas, tanto os novos casos quanto as hospitalizações continuam altos, perto dos picos da segunda onda. De fato, no final de fevereiro, a melhora desacelerou e até deu alguns sinais de reversão. Os riscos são reais. No entanto, o processo de vacinação acelerado deve ajudar a manter esses riscos sob controle. A perspectiva mais provável para março continua sendo o progresso contínuo na pandemia.

Um ciclo virtuoso. Para março, as perspectivas econômicas são boas. Com a reabertura dos estados, o mercado de trabalho continuará a melhorar, especialmente nos setores mais afetados, como restaurantes e entretenimento. Em um ciclo virtuoso, essa melhoria ajudará a estimular a confiança e os gastos. Quanto à perspectiva de mais estímulos federais, se chegarem, os pagamentos funcionarão como mais um impulso à economia. Os riscos ainda existem – e o desemprego segue elevado -, mas o curso mais provável é de melhoria contínua.

“Modo rali” de mercado. O cenário de recuperação que os mercados projetaram nos últimos meses agora está acontecendo – principalmente nos ganhos corporativos. Até agora, os lucros do último trimestre aumentaram quase 6%, contra uma queda esperada de quase 9%. As empresas se adaptaram e estão colhendo os benefícios à medida que a economia melhora. Perspectivas de negócios mais fortes devem fornecer suporte contínuo aos mercados até março, e até mesmo movê-los para cima. Apesar dos danos econômicos, dos riscos sanitários e de toda turbulência, o mercado permaneceu em modo de rali.

Risco de sucesso econômico. Olhando para o futuro, o maior risco é de sucesso econômico. Vimos esse risco no final de fevereiro, quando a perspectiva de crescimento mais acelerado e de inflação empurraram as taxas de juros para cima, sacudindo os mercados por alguns dias. Os mercados têm valorizado amplamente, mas ainda precisam levar em conta os potenciais reveses – como inflação e taxas de juros mais altas. O recente surto de volatilidade pode muito bem se repetir à medida que a recuperação se acelerar em março.

Um tempo de transição

Olhando para trás, fevereiro foi o mês em que finalmente dobramos a esquina da terceira onda nos EUA – e muito possivelmente da própria pandemia. A economia começou a reabrir e realmente a se curar, o mercado começou a afastar-se das respostas à pandemia ou a estímulos e, ao invés disso, a olhar para a economia real novamente. Resumindo, fevereiro foi o mês em que algo normal começou a parecer uma possibilidade razoável a curto prazo.

Perspectivas. Os riscos reais permanecem – a possibilidade de outra onda de infecções é muito real, impulsionada por reaberturas e variantes mais contagiosas do vírus. O dano econômico pode levar muito tempo para ser curado. Ainda assim, entre a rápida expansão da implantação da vacinação e os substanciais programas de estímulo federal, as perspectivas para março são muito melhores do que vimos até agora.

Em outras palavras, embora ainda precisemos ser cautelosos, um bom fevereiro provavelmente fará a transição para um março muito melhor. Embora provavelmente haja tempestades nos próximos meses, agora parece que a primavera está chegando.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).