Global 2000: 21 maiores empresas brasileiras de capital aberto em 2021

Juntas, as representantes nacionais da lista estão avaliadas em US$ 501,9 bilhões.

Redação
Compartilhe esta publicação:
NurPhoto/Getty Images
NurPhoto/Getty Images

Juntas, as representantes nacionais da lista Global 2000 estão avaliadas em US$ 501,9 bilhões

Acessibilidade


Em sua 19ª edição, o ranking anual Global 2000, da Forbes, lista as maiores empresas de capital aberto do mundo segundo uma pontuação definida por meio de quatro métricas: vendas, lucros, ativos e valor de mercado. Em 2021, o número de empresas brasileiras aumentou para 21, contra 18 do ano passado e 20 no levantamento de 2019.

A Petrobras, que ocupou o topo da lista nos últimos dois anos, perdeu o posto para o Itaú Unibanco. No entanto, a petroleira, que agora aparece em 4º lugar entre as brasileiras, viu seu valor de mercado aumentar de US$ 43,5 bilhões para US$ 52,7 bilhões – uma leve recuperação, mas ainda muito longe dos US$ 91,2 bilhões de 2019.

LEIA MAIS: Global 2000: as maiores empresas de capital aberto do mundo em 2021

O Itaú Unibanco, que subiu da vice-liderança para o 1º lugar, mas perdeu 31 posições em relação ao ano passado no ranking geral, também registrou aumento em seu valor de mercado: de US$ 41 bilhões para US$ 48,5 bilhões.

A Vale conquistou quatro posições ao deixar o 6º lugar e assumir a vice-liderança. Na lista geral, a mineradora ganhou nada menos do que 400 posições e mais de 130% de valorização de mercado, saindo de US$ 42,5 bilhões para US$ 99,2 bilhões – a empresa mais valiosa entre as brasileiras. O BTG Pactual também subiu: o banco ganhou duas posições e agora ocupa o 7º lugar do recorte Brasil, ao contrário da 9ª posição em 2020. O maior aumento, no entanto, foi no valor de mercado, que saiu de US$ 5,6 bilhões para US$ 46,1 bilhões.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Banco Bradesco, JBS, Banco do Brasil, Eletrobras, Itaúsa, B3, WEG, Magazine Luiza e Companhia Brasileira de Distribuição não mostraram grandes variações em termos de posições no levantamento do país.

Entre as companhias que caíram estão Suzano (11º para o 14º lugar), CPFL (12º para 18º), Braskem (13º para 19º) e Ultrapar (16º para 20º).

A lista traz, ainda, quatro novidades em relação ao ano passado: Marfrig, CSN, Gerdau e Rede D’Or São Luiz, esta última com um valor de mercado de US$ 24,2 bilhões – nada mal para uma estreante. A única empresa presente no ano passado que não consta da lista atual é a Cemig.  

Juntas, as brasileiras da Global 2000 somam valor de mercado de US$ 501,9 bilhões – contra US$ 292 bilhões de 2020.

Metodologia da Global 2000

Compilamos a lista Global 2000 com dados dos sistemas FactSet Research para identificar as maiores empresas de capital aberto do mundo com base em quatro métricas: vendas, lucros, ativos e valor de mercado. Nosso cálculo do valor de mercado é de 16 de abril de 2021, com preços de fechamento do mercado, e inclui todas as ações ordinárias em circulação.

Todos os valores são consolidados e em dólares americanos. Usamos as informações dos últimos 12 meses e nos baseamos fortemente nos bancos de dados, assim como nos últimos resultados financeiros disponíveis usados para os rankings que produzimos (a última checagem foi em meados de abril). Muitos fatores influenciam esse levantamento, como políticas específicas de divulgação de resultados dos países e o intervalo de tempo entre o momento em que uma empresa divulga seu balanço e quando os bancos de dados o capturam para triagem/classificação. Checamos da melhor maneira possível a qualidade dos dados financeiros obtidos, usando outras fontes de dados e demonstrações financeiras das próprias empresas. 

Primeiro criamos quatro listas separadas das 2.000 maiores empresas em cada uma das métricas: vendas, lucros, ativos e valor de mercado. Cada uma das listas tem um valor mínimo de corte para que as empresas se qualifiquem: US$ 4,6 bilhões (vendas), US$ 278,5 milhões (lucro), US$ 12,72 bilhões (ativos) e US$ 8,3 bilhões (valor de mercado). Uma empresa precisa se qualificar para pelo menos uma das listas para ser elegível para a classificação final da Global 2000. 

Este ano, 3.650 empresas foram necessárias para preencher as quatro listas, todas classificadas em pelo menos uma delas. Cada companhia recebe uma pontuação separada para cada métrica, com base em sua classificação na lista específica do top 2.000 de cada um dos indicadores. Somamos todas as pontuações das quatro métricas (igualmente ponderadas) e compilamos uma pontuação composta para cada empresa, com base em suas classificações de vendas, lucros, ativos e valor de mercado. Classificamos as empresas em ordem decrescente pela pontuação composta mais alta e, em seguida, aplicamos nossa classificação Forbes Global 2000. A pontuação composta mais alta se posiciona na maior posição do ranking.

As subsidiárias de capital aberto para as quais a empresa-mãe consolida os números foram excluídas de nossa lista. 

Veja, na galeria de fotos a seguir, as 21 empresas brasileiras na edição 2021 da Global 2000:

  • 1. Itaú Unibanco Holding

    Posição geral na lista em 2021: 109ª
    Posição geral na lista em 2020: 78ª
    Setor: bancário
    Vendas: US$ 37,2 bilhões
    Lucro: US$ 3,7 bilhões
    Ativos: US$ 389,7 bilhões
    Valor de mercado: US$ 48,5 bilhões

    Pilar Olivares/Reuters
  • 2. Vale

    Posição geral na lista em 2021: 113ª
    Posição geral na lista em 2020: 513ª
    Setor: mineração
    Vendas: US$ 40,4 bilhões
    Lucro: US$ 5,2 bilhões
    Ativos: US$ 92,1 bilhões
    Valor de mercado: US$ 99,2 bilhões

    Brendan McDermid/Reuters
  • 3. Banco Bradesco

    Posição geral na lista em 2021: 154ª
    Posição geral na lista em 2020: 101ª
    Setor: bancário
    Vendas: US$ 26,7 bilhões
    Lucro: US$ 3,2 bilhões
    Ativos: US$ 306,3 bilhões
    Valor de mercado: US$ 40,9 bilhões

    SOPA Images/Getty Images
  • 4. Petrobras

    Posição geral na lista em 2021: 159ª
    Posição geral na lista em 2020: 70ª
    Setor: petróleo e gás
    Vendas: US$ 52,7 bilhões
    Lucro: US$ 1,4 bilhão
    Ativos: US$ 190,1 bilhões
    Valor de mercado: US$ 53,3 bilhões

    Sergio Moraes/Reuters
  • 5. Banco do Brasil

    Posição geral na lista em 2021: 272ª
    Posição geral na lista em 2020: 208ª
    Setor: bancário
    Vendas: US$ 24 bilhões
    Lucro: US$ 2,3 bilhões
    Ativos: US$ 314 bilhões
    Valor de mercado: US$ 15,1 bilhões

    SOPA Images/Getty Images
  • 6. JBS

    Posição geral na lista em 2021: 525ª
    Posição geral na lista em 2020: 461ª
    Setor: alimentício
    Vendas: US$ 52,4 bilhões
    Lucro: US$ 891,5 bilhões
    Ativos: US$ 31,5 bilhões
    Valor de mercado: US$ 14,8 bilhões

    Brazil Photo Press/GettyImages
  • 7. Banco BTG Pactual

    Posição geral na lista em 2021: 680ª
    Posição geral na lista em 2020: 1341ª
    Setor: bancário
    Vendas: US$ 3,1 bilhões
    Lucro: US$ 1 bilhão
    Ativos: US$ 44,9 trilhões
    Valor de mercado: US$ 46,1 bilhões

    Reprodução/Facebook
  • 9. Itaúsa

    Posição geral na lista em 2021: 1218ª
    Posição geral na lista em 2020: 935ª
    Setor: finanças
    Vendas: US$ 1,1 bilhão
    Lucro: US$ 1,4 bilhão
    Ativos: US$ 14 bilhões
    Valor de mercado: US$ 15,4 bilhões

    Reprodução/Itaúsa
  • 8. Eletrobras

    Posição geral na lista em 2021: 959ª
    Posição geral na lista em 2020: 722ª
    Vendas: US$ 5,6 bilhões
    Lucro: US$ 1,2 bilhão
    Ativos: US$ 34,5 bilhões
    Valor de mercado: US$ 10,1 bilhões

    Bremdan McDermid/Reuters
  • 10. B3

    Posição geral na lista em 2021: 1322ª
    Posição geral na lista em 2021: 1371ª
    Setor: finanças
    Vendas: US$ 1,6 bilhão
    Lucro: US$ 805 milhões
    Ativos: US$ 9,2 bilhões
    Valor de mercado: US$ 19,9 bilhões

    NurPhoto/GettyImages
  • 11. Marfrig Global Foods

    Posição geral na lista em 2021: 1344ª
    Posição geral na lista em 2021: não constava
    Setor: alimentício
    Vendas: US$ 13,1 bilhões
    Lucro: US$ 640,1 milhões
    Ativos: US$ 7,6 bilhões
    Valor de mercado: US$ 2,4 bilhões

    Reprodução/Facebook
  • 12. CSN

    Posição geral na lista em 2021: 1450ª
    Posição geral na lista em 2021: não constava
    Setor: siderúrgico
    Vendas: US$ 5,8 bilhões
    Lucro: US$ 735,6 milhões
    Ativos: US$ 12,1 bilhões
    Valor de mercado: US$ 11,8 bilhões

    zhaojiankang/Getty Images
  • 13. WEG

    Posição geral na lista em 2021: 1465ª
    Posição geral na lista em 2021: 1654ª
    Setor: automação industrial
    Vendas: US$ 3,4 bilhões
    Lucro: US$ 453,8 milhões
    Ativos: US$ 3,8 bilhões
    Valor de mercado: US$ 28,8 bilhões

    Reprodução/Twitter
  • 14. Suzano Papel e Celulose

    Posição geral na lista em 2021: 1527ª
    Posição geral na lista em 2021: 959ª
    Setor: papel e celulose
    Vendas: US$ 5,9 bilhões
    Lucro: US$ – 2,1 bilhões
    Ativos: US$ 19,6 bilhões
    Valor de mercado: US$ 17,1 bilhões

    Divulgação
  • 15. Gerdau (Cosigua)

    Posição geral na lista em 2021: 1602ª
    Posição geral na lista em 2021: não constava
    Setor: metalurgia
    Vendas: US$ 8,5 bilhões
    Lucro: US$ 458,6 bilhões
    Ativos: US$ 12,2 bilhões
    Valor de mercado: US$ 9,8 bilhões

    Getty Images
  • 16. Magazine Luiza

    Posição geral na lista em 2021: 1726ª
    Posição geral na lista em 2021: 1916ª
    Setor: varejo
    Vendas: US$ 5,7 bilhões
    Lucro: US$ 75,9 bilhões
    Ativos: US$ 4,7 bilhões
    Valor de mercado: US$ 25,2 bilhões

    SOPA Images/Getty Images
  • 18. CPFL Energia

    Posição geral na lista em 2021: 1791ª
    Posição geral na lista em 2021: 1542ª
    Setor: energia
    Vendas: US$ 6 bilhões
    Lucro: US$ 703,5 milhões
    Ativos: US$ 9,5 bilhões
    Valor de mercado: US$ 6,4 bilhões

    Divulgação
  • 17. Companhia Brasileira de Distribuição

    Posição geral na lista em 2021: 1759ª
    Posição geral na lista em 2021: 1698ª
    Setor: varejo
    Vendas: US$ 9,9 bilhões
    Lucro: US$ 422,4 milhões
    Ativos: US$ 11,5 bilhões
    Valor de mercado: US$ 1,7 bilhão

    Divulgação
  • 19. Braskem

    Posição geral na lista em 2021: 1841ª
    Posição geral na lista em 2021: 1623ª
    Setor: químico
    Vendas: US$ 11,4 bilhões
    Lucro: US$ – 1,3 bilhão
    Ativos: US$ 16,6 bilhões
    Valor de mercado: US$ 7,1 bilhões

    Getty Images
  • 20. Ultrapar Participações

    Posição geral na lista em 2021: 1888ª
    Posição geral na lista em 2021: 1694ª
    Setor: óleo e gás
    Vendas: US$ 15,8 bilhões
    Lucro: US$ 173,1 milhões
    Ativos: US$ 7,1 bilhões
    Valor de mercado: US$ 4,1 bilhões

    SOPA Images/Getty Images
  • 21. Rede D’Or São Luiz

    Posição geral na lista em 2021: 1993ª
    Posição geral na lista em 2021: não constava
    Setor: hospitalar
    Vendas: US$ 2,7 bilhões
    Lucro: US$ 83 milhões
    Ativos: US$ 8,8 bilhões
    Valor de mercado: US$ 24,2 bilhões

    Ricardo Moraes/Reuters

1. Itaú Unibanco Holding

Posição geral na lista em 2021: 109ª
Posição geral na lista em 2020: 78ª
Setor: bancário
Vendas: US$ 37,2 bilhões
Lucro: US$ 3,7 bilhões
Ativos: US$ 389,7 bilhões
Valor de mercado: US$ 48,5 bilhões

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: