Ibovespa abre no vermelho com recuo de commodities e política doméstica agitada

O dia no mercado de ações opera movido pela cautela no exterior, que também contamina o cenário doméstico, já abalado pela agenda política cheia. Os mercados globais aguardam atentos à ata do comitê de política monetária do Federal Reserve, às 15h00, horário de Brasília. Por aqui, o Ibovespa caía 0,97%, a 121.791 pontos, perto das 10h10.

Os investidores locais se preparam para o depoimento do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na CPI da Covid-19 hoje e para a possibilidade do plenário da Câmara votar a medida provisória da capitalização da Eletrobras. Pela manhã, a Polícia Federal deflagrou uma operação que investiga suspeitas de crimes de corrupção e facilitação de contrabando no setor madeireiro. A operação, autorizada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), quebrou os sigilos bancário e fiscal do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e determinou o afastamento do presidente do Ibama, Eduardo Bim.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O dólar opera em alta ante o real, subindo 0,80% a R$ 5,2957 na venda, com a cautela global levando os investidores a migrarem para ativos de proteção.

Os índices futuros dos Estados Unidos apontam para abertura em queda pelo terceiro dia consecutivo à espera da ata da última reunião do Fomc (Federal Open Market Committee), em busca de pistas sobre o rumo da política monetária do país.

Os preços do petróleo caem pelo segundo dia consecutivo, refletindo a perspectiva de retorno da oferta pelo Irã com um potencial acordo nuclear com os EUA. O petróleo Brent recuava 1,83%, a US$ 67,45 por barril perto das 8h35, horário de Brasília. O WTI caía 1,95%, a US$ 64,21.

Os preços do minério de ferro na Bolsa de Dalian encerraram em queda de 3,3%, e o aço caiu mais de 5%, com expectativa de desaceleração das atividades de construção em meio à proximidade da chegada da estação de chuvas na região.

As Bolsas asiáticas fecharam em baixa, enquanto os mercados de Hong Kong não abriram devido ao feriado. O índice Shanghai, da China, caiu a 0,51% ao longo do dia; o BSE Sensex, de Mumbai, fechou em baixa de 0,58%; e no Japão, o índice Nikkei decresceu 1,28%.

Na Europa, o mercado de ações também opera em queda após a divulgação da inflação no continente medida pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor), que acelerou como esperado em abril devido a uma forte alta nos custos de energia e serviços. O Stoxx 600 cai 1,59%. Na Alemanha, o DAX recua 1,77%; enquanto o CAC 40 desvaloriza 1,55% na França. Na Itália, o FTSE MIB é negociado em baixa de 1,61%; e o FTSE 100, 1,47% no Reino Unido.

A agência de estatísticas europeia, Eurostat, informou que os preços ao consumidor nos 19 países da Zona do Euro subiram 0,6% em abril sobre o mês anterior e 1,6% na base anual. Enquanto isso, o Reino Unido registrou alta de 1,5% nos preços ao consumidor em abril, ante alta de 0,7% em março. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).