IGP-DI tem alta de 2,22% em abril com maior inflação ao produtor, diz FGV

VCG/GettyImages
VCG/GettyImages

A soja foi um dos itens que afetaram o resultado do IGP-DI de abril

O IGP-DI (Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna) passou a subir 2,22% em abril, ante alta de 2,17% no mês anterior, com a aceleração dos preços de algumas commodites elevando a inflação ao produtor, informou hoje (7) a Fundação Getulio Vargas (FGV).

A expectativa em pesquisa da Reuters era de um avanço de 1,80%, e com esse resultado o índice passa a acumular alta de 33,46% em 12 meses.

LEIA MAIS: IGP-M passa a subir 1,51% em abril com arrefecimento dos combustíveis, diz FGV

O IPA-DI (Índice de Preços ao Produtor Amplo), que responde por 60% do indicador, acelerou a alta em abril para 2,90%, de 2,59% no mês anterior.

“Ainda que os preços dos combustíveis tenham apresentado queda em abril, tanto ao produtor, quanto ao consumidor, uma nova onda de aumentos entre commodities agrícolas e minerais voltou a acelerar a inflação ao produtor”, explicou em nota André Braz, Coordenador dos Índices de Preços

Ele chamou a atenção para os itens minério de ferro (+4,63%), milho (+11,03%) e soja (+2,66%), que responderam por 40% do resultado do IPA de abril.

Na análise por estágios de processamento, o destaque foi o grupo Matérias-Primas Brutas, que avançou 3,78% em abril, após alta de 1,61% registrada em março.

Já a alta dos preços ao consumidor ficou menos intensa. O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) – que responde por 30% do IGP-DI –  subiu 0,23% no período, de alta de 1% em março.

O grupo Transportes foi um dos principais responsáveis por esse resultado, uma vez que caiu 0,13% em abril, deixando para trás a alta acentuada de 3,89% vista no mês anterior em meio ao arrefecimento dos preços da gasolina.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), por sua vez, passou a subir em abril 0,90%, depois de avançar em março 1,30%.

O IGP-DI é usado como referência para correções de preços e valores contratuais. Também é diretamente empregado no cálculo do PIB (Produto Interno Bruto) e das contas nacionais em geral. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).