Contração da zona do euro no 1º trimestre é mais fraca do que o esperado

Queda do PIB foi menor com o aumento dos estoques e investimentos compensados pelos gastos reduzidos do consumidor.

Redação
Compartilhe esta publicação:
AtlantidePhototravel/GettyImages
AtlantidePhototravel/GettyImages

O PIB dos 19 países da zona do euro contraiu 0,3% de janeiro a março – a metade do índice de recuo previsto pelas estimativas

Acessibilidade


A economia da zona do euro contraiu bem menos do que o esperado no primeiro trimestre do ano, mostraram dados revisados da agência de estatísticas da UE, com o aumento dos estoques e investimentos compensados pelos gastos reduzidos do consumidor.

A Eurostat informou que o Produto Interno Bruto dos 19 países que usam o euro contraiu 0,3% sobre o trimestre anterior e 1,3% na comparação com o mesmo período do ano passado. As estimativas divulgadas há três semanas eram de recuos respectivamente de 0,6% e 1,8%.

LEIA MAIS: Inflação na zona do euro fica acima da meta do BCE em maio

A agência informou que o aumento dos estoques contribuiu postivamente com 0,7 ponto percentual para o dado trimestral, e o investimento e o comério acrescentaram 0,1 ponto cada.

A queda do consumo das famílias devido aos lockdowns por conta da pandemia subtraiu 1,2 ponto percentual, enquanto os gastos do governo foram neutros.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A contração de 0,3% do PIB acontece após queda trimestral de 0,6% nos três meses anteriores, o que significa que a economia da zona do euro caiu em sua segunda recessão técnica desde o início da pandemia de Covid-19. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: