Fed deve sinalizar início de debate sobre mudança de política monetária

Chris Wattie/Reuters
Chris Wattie/Reuters

Sede do Fed em Washington, DC

As autoridades do Federal Reserve (Fed) devem ao menos indicar o início das discussões sobre quando e como sair das políticas da era de crise que o banco central dos Estados Unidos adotou no início da pandemia de coronavírus no ano passado.

Com a inflação nos EUA subindo mais rápido do que o esperado e a previsão de que a economia crescerá no ritmo mais forte em décadas neste ano, algumas autoridades começaram a questionar se o Fed deveria manter sua taxa referencial de juros de curto prazo perto de zero e deixar inalterado o programa de compra de títulos adotado devido ao impacto da pandemia.

LEIA TAMBÉM: IGP-10 desacelera alta a 2,32% em junho com pressão menor ao produtor, diz FGV

Mas os EUA ainda têm 7,5 milhões de vagas de trabalho a menos do que início de 2020, e a reabertura de escolas e uma série de áreas públicas ainda está em andamento.

As infecções diárias e mortes por coronavírus caíram, mas apenas cerca de metade dos que têm mais de 12 anos foram totalmente vacinados, abaixo do que os epidemiologistas dizem ser necessário para eliminar o risco de futuros surtos localizados.

Como resultado, qualquer mudança na política monetária deve demorar meses, conforme o Fed equilibra uma variedade de riscos.

O comunicado do banco central, a ser divulgado com novas projeções econômicas às 15h (horário de Brasília), deve errar pro lado de continuar com o suporte do Fed para a economia até que mais trabalhadores estejam de volta ao trabalho. O chair do Fed, Jerome Powell, dará entrevista à imprensa.

Tanto mudou nos últimos meses – e pode começar a mudar com mais rapidez – que analistas esperam que o Fed ao menos reconheça o início das discussões que irão eventualmente levar a um plano para primeiro reduzir as compras mensais de títulos de US$ 120 bilhões a zero, e depois começar a aumentar os juros. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).