IGP-10 desacelera alta a 2,32% em junho com pressão menor ao produtor, diz FGV

Pilar Olivares/Reuters
Pilar Olivares/Reuters

Frentista abastece carro em posto de combustível no Rio de Janeiro

O Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) desacelerou a alta a 2,32% em junho depois de subir 3,24% em maio, com a desaceleração da inflação ao produtor, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) hoje (16).

Mas índice ficou acima da expectativa em pesquisa da “Reuters” de alta de 2,26%, e passou a acumular com esse resultado um avanço de 36,94% em 12 meses.

LEIA TAMBÉM: Produção industrial e vendas no varejo da China ficam abaixo das expectativas em maio

Em junho, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, passou a subir 2,64%, de 4,20% no mês anterior.

“A inflação ao produtor apresentou desaceleração e contribuiu para o recuo do IGP. Mesmo assim, o IPA segue pressionado pelo aumento dos preços de commodities importantes”, explicou o coordenador de índices de preços, André Braz.

“O recuo não foi mais intenso dado o aumento registrado nos preços de energia e gasolina, que impulsionaram a inflação ao consumidor, completou

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-10), que responde por 30% do índice geral, teve alta de 0,72% em junho, depois de avançar 0,35% no período anterior.

O destaque ficou para a alta de Transportes de 1,69% depois de queda de 0,22% no mês anterior. Habitação acelerou a alta de 0,67% para 1,41%.

As principais contribuições para este movimento partiram dos itens gasolina (-1,03% para 3,16%) e tarifa de eletricidade residencial (1,92% para 4,87%).

VEJA MAIS: Alta nas ações da Moderna faz quinto bilionário

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 2,81% em junho, depois de alta de 1,02% em maio.

O IGP-10 calcula os preços ao produtor, consumidor e na construção civil entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência. (Com Reuters)

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).