Mercado de trabalho mundial não vai se recuperar da pandemia antes de 2023, diz agência da ONU

REUTERS/Siphiwe Sibeko
REUTERS/Siphiwe Sibeko

A agência prevê que o número de desempregados deve cair a 205 milhões no próximo ano, acima dos 187 milhões de 2019

Pelo menos 220 milhões de pessoas devem permanecer desempregadas em todo o mundo este ano, bem acima dos níveis pré-pandemia, com a fraca recuperação do mercado de trabalho agravando as desigualdades existentes, disse a OIT (Organização Internacional do Trabalho) hoje (2).

A agência das Nações Unidas prevê que o número de desempregados deve cair a 205 milhões no próximo ano – ainda bem acima dos 187 milhões registrados em 2019, antes de a crise do coronavírus causar estragos.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Segundo os modelos da OIT, isso equivale a uma taxa de desemprego global de 6,3% neste ano, com queda a 5,7% no próximo, mas ainda acima da taxa pré-pandemia de 5,4% em 2019. “O crescimento do emprego será insuficiente para compensar as perdas sofridas até pelo menos 2023”, informou a OIT no relatório “Perspectiva Social e de Emprego Mundial: Tendências 2021”.

Stefan Kuehn, economista da OIT e principal autor do relatório, disse à Reuters que o verdadeiro impacto no mercado de trabalho é ainda maior quando a redução da jornada de trabalho imposta a muitos trabalhadores e outros fatores são contabilizados.

“O desemprego não capta o impacto no mercado de trabalho”, disse Kuehn, observando que, enquanto nos Estados Unidos as contratações foram retomadas após perdas massivas de empregos, muitos trabalhadores em outros lugares, especialmente na Europa, permaneceram em esquemas de horário reduzido. (com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).