Argentina pagará US$ 1,9 bilhões de dívida de US$ 45 bilhões junto ao FMI

O pagamento será feito com recursos que a Argentina recebeu do programa de Direitos Especiais de Saque.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Palácio presidencial Casa Rosada em Buenos Aires

Acessibilidade


A Argentina fará um pagamento de quase US$ 1,9 bilhão ao FMI (Fundo Monetário Internacional) hoje (22), de acordo com duas fontes do governo e a agência de notícias estatal Telam, em amortização de uma dívida com o organismo multilateral que totaliza US$ 45 bilhões.

O pagamento será feito com recursos que a Argentina recebeu do programa de Direitos Especiais de Saque (SDRs, na sigla em inglês) do FMI distribuídos em agosto para ajudar membros da instituição global a combater as consequências econômicas da pandemia do coronavírus. Os SDRs representam ativos em moeda estrangeira.

A agência de notícias estatal Telam confirmou que os recursos dos SDRs seriam usados ​​para permitir a transferência de US$ 1,885 bilhão.

A Argentina precisa fazer um pagamento ao FMI de US$ 400 milhões em juros em novembro e de cerca de US$ 1,9 bilhão em principal em dezembro, de acordo com um cronograma de suas obrigações de dívida.

O país sul-americano está em negociações com o Fundo para reestruturar sua dívida, num momento em que sua economia tem sido prejudicada por uma inflação persistentemente alta e aumento da pobreza, problemas agravados pela pandemia ainda em curso. (Com Reuters)

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: