Família bilionária aposta na retomada do turismo e amplia parceria com hotéis IHG em Singapura

Empreendimento será o terceiro hotel em Singapura a ser administrado pela IHG para a RB Capital.

Jonathan Burgos
Compartilhe esta publicação:
IHG HOTELS & RESORTS

Kishin RK, fundador e CEO da RB Capital, Raj Kumar, presidente da Royal Holdings, Rajit Sukumaran, diretor administrativo da IHG, e Serena Lim, vice-presidente de desenvolvimento da IHG

Acessibilidade


A RB Capital – controlada por Kishin RK e seu pai, Raj Kumar, – escolheu a IHG Hotels para administrar seu hotel em Farrer Park, no coração do distrito de Little India, em Singapura. A família aposta em uma recuperação robusta da indústria do turismo, que esteve entre as mais atingidas pela pandemia por causa das restrições de viagens.

Anteriormente administrado pela Park Hotel Management, o hotel de 300 quartos foi rebatizado de Holiday Inn Singapore Little India, uma renovação que lhe dará uma nova identidade. “O Holiday Inn Singapore Little India está apoiando o governo de Singapura para manter as fronteiras seguras. Começaremos as reformas no devido tempo”, disse o IHG em resposta por email à Forbes Ásia.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram: https://t.me/forbesmoney

Este será o terceiro hotel em Singapura a ser administrado pela IHG para a RB Capital, que também possui o cinco estrelas InterContinental Singapore Robertson Quay ao longo do Rio Singapura, na cidade-Estado, e o Holiday Inn Express Clarke Quay, que conta com 442 quartos.

A colaboração estratégica entre as três propriedades permitirá sinergias e experiências compartilhadas, que garantirão que os hotéis estejam mais bem preparados para a recuperação da indústria do turismo, afirmou o IHG em um comunicado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Neste momento em que Singapura se prepara para o pós Covid-19 com a abertura gradual de suas fronteiras para viagens internacionais, estou confiante de que a indústria da hotelaria terá uma forte recuperação”, disse Kishin, fundador e CEO da RB Capital, em um comunicado. “É o momento perfeito para relançar este hotel com uma nova marca, novo posicionamento e uma renovação baseada no design para estarmos prontos para a recuperação e idealmente posicionados para contribuir para o sucesso de Singapura à medida que o país reabre”, diz.

O Holiday Inn Little India, de 20 andares, faz parte do Farrer Square, um empreendimento de uso misto construído pela RB Capital em um terreno arrendado por 99 anos que foi adquirido em um leilão público de terras em 2012. As obras foram concluídas em 2016.

No ano seguinte, o RB Capital recebeu uma proposta espontânea de um investidor não identificado para comprar o hotel, mas Kishin decidiu contra a venda. “Acreditamos na valorização a longo prazo dos hotéis em Singapura”, disse à Forbes Ásia por telefone, acrescentando que o custo de reposição para tais propriedades é extremamente alto.

Diretamente ligado à estação Farrer Park do serviço de trens rápidos da cidade, a propriedade está estrategicamente localizada fora da zona empresarial central e perto da zona comercial de Orchard Road. É adjacente ao Farrer Park Hospital e ao shopping center Mustafa Centre, que fica aberto 24 horas e é popular entre os turistas indianos.

A renovação do Holiday Inn Little India ocorre enquanto várias companhias do setor em Singapura, incluindo a Capella Hotel Group da família Kwee e os Hotéis Pan Pacific, estão reformando suas propriedades para aproveitar o tempo de inatividade causado pela pandemia.

LEIA MAIS: Os dez maiores bilionários do setor financeiro no Brasil

As chegadas de visitantes caíram 86%, para 2,7 milhões, no auge da crise Covid-19 em 2020, reduzindo as receitas do hotel em 71%, para 1,2 bilhão de dólares de Singapura (US$ 891 milhões), segundo dados do governo. Embora as chegadas tenham aumentado neste ano, os números não estão nem perto dos níveis de 2019, quando mais de 19 milhões de pessoas visitaram a cidade-Estado.

“Novas atrações e projetos de infraestrutura planejados para o período entre 2021 e 2030 são bons indicativos da demanda futura do setor de turismo em Singapura”, disse Kishin. “A gestão do governo local da crise da Covid levou à menor taxa de mortes do mundo, e fez a administração ganhar a confiança de empresas de todo o mundo para explorar esta cidade como um centro atraente para elas e para seus negócios.”

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: