AMD anuncia Meta como cliente e tem forte alta nas ações

A empresa também anunciou uma gama de novos chips com o objetivo de enfrentar rivais como Nvidia.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

A AMD agora tem quase um quarto do mercado de chips x86

Acessibilidade


A AMD disse hoje (8) que fechou acordo com a Meta, anteriormente conhecida como Facebook, para ser seu cliente de chips para centrais de processamento de dados. O anúncio fez as ações da empresa de semicondutores disparar mais de 11%.

A empresa também anunciou uma gama de novos chips com o objetivo de enfrentar rivais como Nvidia nos mercados de supercomputação, bem como concorrentes menores, incluindo Ampere no mercado de computação em nuvem.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Depois de anos atrás da Intel no mercado de chips, a AMD vem ganhando participação de mercado desde 2017, quando um plano de recuperação liderado pela presidente-executiva, Lisa Su, colocou a empresa em um curso para sua posição atual de ter chips mais rápidos do que a rival.

A AMD agora tem quase um quarto do mercado de chips x86, de acordo com a Mercury Research.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Depois de garantir a Meta como cliente, a AMD fez negócios com muitos dos maiores usuários de chips Intel. A companhia também tem negócios com Google Cloud, Amazon Web Services e Azure, da Microsoft.

A AMD também anunciou planos de enfrentar rivais além da Intel. A empresa anunciou o chip MI200, um acelerador para tarefas como aprendizado de máquina e inteligência artificial.

O novo chip AMD foi projetado para enfrentar o chip A100 da Nvidia, que, junto com outros chips projetados para acelerar a inteligência artificial, ajudou a tornar a Nvidia a mais valiosa empresa de semicondutores listada nos Estados Unidos.

A AMD também mirou em rivais menores. A empresa anunciou um novo processador chamado “Bergamo”, que será lançado no primeiro semestre de 2023. O chip terá 128 núcleos de computação, que são úteis para empresas de computação em nuvem que alugam seus chips para clientes externos.

A Ampere Computing, uma startup fundada por ex-executivos da Intel, está buscando uma estratégia similar e este ano anunciou o serviço de nuvem da Oracle como cliente. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: