Alta de juros nos EUA: é hora de dolarizar seus investimentos?

Para os analistas ouvidos pela Forbes, o câmbio ainda é um empecilho.

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:
Rick Wilking/Reuters
Rick Wilking/Reuters

Outra recomendação que é unanimidade entre os analistas é fazer aportes periódicos, independentemente da estratégia de investimentos

Acessibilidade


A perspectiva de novos aumentos da taxa de juros dos Estados Unidos, na tentativa de frear a escalada da inflação, trouxe à atenção dos investidores a possibilidade de dolarizar a carteira e lucrar com os novos movimentos do Federal Reserve.

A Forbes conversou com quatro especialistas no assunto para entender se este é o momento correto de buscar novas oportunidades de investimento no exterior.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Em geral, o câmbio continua sendo um fator determinante na hora de pensar em incluir o dólar na carteira, seja investindo em ações dos EUA, em ETFs ou em fundos. No entanto, para os analistas, apesar das cotações é essencial contar com opções fora do Brasil no portfólio.

Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial Investimentos, aponta que o dólar se encontra pelo menos 20% mais alto do que deveria e ninguém sabe qual é o futuro dele. “Não há momento ideal para começar a investir fora do Brasil”, diz.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Assim, para ele, a maneira mais inteligente de diversificar a carteira é tratar investimentos do Brasil no Brasil e investimentos do exterior no exterior. “Basicamente, você vai tratar em duas moedas diferentes e não vai ter o efeito do câmbio, ou seja, se você tem dinheiro aqui e aplica lá fora que rende 10% ao ano e o dólar cai 10% ao ano, a aplicação vai ter rendimento zero”, explica.

“Por outro lado, se você tivesse mandado dinheiro para o exterior e contasse com a valorização, teria o montante em dólar e saberia quanto ganhou com muito mais facilidade.”

Na visão de Zeller Bernardino, especialista em câmbio da Valor Investimentos, ter aportes em dólar também é uma ótima forma de fugir das quedas da Bolsa de Valores brasileira.

“A moeda tem uma relação mais ou menos inversa com a bolsa. Isso significa que, no geral, quando a bolsa cai, o dólar sobe, então é preciso ter algo de dólar na carteira. Assim, em momentos de queda, [o investidor] tem algum ponto para se apoiar. Ele pode servir como proteção contra quedas bruscas”, avalia Bernardino.

Outra recomendação que é unanimidade entre os analistas é fazer aportes periódicos, independentemente da estratégia de investimentos. Assim, é possível aproveitar momentos de maiores altas e quedas sem apostar tanto dinheiro de uma vez só.

“Fora do brasil, existem muitas oportunidades, com milhares de empresas nas bolsas, então você pode navegar em diversas direções. Como é muito difícil prever o ponto em que vai estar uma moeda, o aporte periódico pode ser benéfico para seus investimentos”, comentou Andrey Nousi, CFA, e CEO da Nousi Finance.

Em geral, na visão dos analistas, mesmo com a taxa de juros subindo, o câmbio também está em alta no momento, o que faz com que seja preciso pensar com cautela e avaliar a estratégia sempre de acordo com os objetivos de cada investidor.

Compartilhe esta publicação: