Preços de petróleo atingem pico de 7 anos com crise na Ucrânia ofuscando Fed

Os futuros do Brent subiam US$ 0,89, ou 1%, a US$ 90,85 por barril às 09:17 (horário de Brasília).

Reuters
Compartilhe esta publicação:
Baz Ratner/Reuters
Baz Ratner/Reuters

Tanques de armazenamento em Lokichar, Quênia

Acessibilidade


O petróleo ampliou os ganhos para máximas de sete anos, acima de US$ 90 o barril hoje (27), com a crise na Ucrânia superando os sinais de que o Federal Reserve dos Estados Unidos vai apertar a política monetária do país.

Os futuros do Brent subiam US$ 0,89, ou 1%, a US$ 90,85 por barril às 09:17 (horário de Brasília). Os futuros de petróleo bruto dos EUA (WTI) avançavam US$ 0,87, ou 1%, a US$ 88,22 por barril.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Os preços do petróleo subiram na quarta-feira, com o Brent ficando acima de US$ 90 o barril pela primeira vez em sete anos em meio a tensões entre a Rússia e o Ocidente.

A Rússia, segunda maior produtora de petróleo do mundo, e o Ocidente estão em desacordo sobre a Ucrânia, alimentando temores de interrupção do fornecimento de energia para a Europa.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ambos os contratos caíram no início do pregão depois que o Federal Reserve dos EUA disse na quarta-feira que provavelmente aumentará as taxas de juros em março e planeja encerrar suas compras de títulos naquele mês em sua batalha para controlar a inflação.

O dólar americano subiu após o anúncio, tornando o petróleo mais caro para os compradores que usam outras moedas.

“Uma queda mais pronunciada dos preços está sendo evitada pela crise na Ucrânia, pois ainda há preocupações de que as entregas de petróleo e gás russos possam ser prejudicadas no caso de uma escalada militar”, disse o Commerzbank após a queda dos preços da manhã.

A atenção do mercado também está se voltando para uma reunião de 2 de fevereiro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados liderados pela Rússia, um grupo conhecido como Opep+.

O grupo deve manter um aumento planejado para sua meta de produção de petróleo para março, disseram várias fontes da Opep+ à Reuters.

Compartilhe esta publicação: