Bitcoin, ethereum e cripto se preparam para novo terremoto na Rússia

Operadores estão se preparando para fortes oscilações depois que a Rússia foi expulsa da principal rede de pagamentos internacionais, a Swift.

Billy Bambrough
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

A extrema volatilidade do preço do Bitcoin em um momento em que o preço do ouro subiu minou a narrativa popular de que o bitcoin começou a agir como ouro digital

Acessibilidade


Os preços do Bitcoin, Ethereum e criptomoedas oscilaram muito na última semana, quando a invasão da Ucrânia pela Rússia enviou ondas de choque pelos mercados globais – aumentando os temores de uma “mudança cataclísmica do mercado”.

O preço do bitcoin caiu abaixo de US$ 35 mil (R$ 180 mil) por bitcoin na semana passada antes de se recuperar acentuadamente. O Ethereum e outras grandes criptomoedas têm sido tão voláteis quanto o “medo extremo” dos investidores.

Agora, os operadores estão se preparando para fortes oscilações depois que a Rússia foi expulsa da principal rede de pagamentos internacionais, a Swift, com um ex-vice-presidente do Banco Central da Rússia alertando para uma “catástrofe” no mercado de moedas russo.

“Isso significa que haverá uma catástrofe no mercado de câmbio russo na segunda-feira [hoje]”, disse Sergei Aleksashenko à Reuters. “Acho que eles vão parar de negociar e então a taxa de câmbio será fixada em um nível artificial, como nos tempos soviéticos.”

No sábado, EUA, UE, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Canadá anunciaram em comunicado conjunto que penalizariam o banco central da Rússia e excluiriam alguns bancos russos do sistema de mensagens Swift, usado para transações de trilhões de dólares em todo o mundo e projetado para “impedir que o Banco Central da Rússia desdobre suas reservas internacionais de maneira que prejudique o impacto de nossas sanções”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Acredita-se que a Rússia detenha cerca de US$ 300 bilhões (R$ 1,5 trilhão) em moeda estrangeira no exterior – o suficiente para atrapalhar os mercados monetários se o dinheiro for congelado por sanções ou movido repentinamente para evitá-las, de acordo com um relatório do Credit Suisse divulgado pela Bloomberg.

Os preços do Bitcoin, Ethereum e cripto se recuperaram junto com os mercados de ações no final da semana passada, quando os comerciantes chegaram a um acordo com as sanções russas. No entanto, acredita-se que as medidas mais recentes possam desencadear uma nova volatilidade, com o aumento dos preços das commodities e os temores de inflação abalando os investidores nas últimas semanas.

A extrema volatilidade do preço do Bitcoin em um momento em que o preço do ouro subiu minou a narrativa popular de que o bitcoin começou a agir como ouro digital, um chamado ativo de refúgio para o qual os investidores fogem em tempos de risco percebido – embora alguns bitcoins e criptomoedas investidores continuam confiantes.

Leia mais: Como investir em ouro?

“Em contraste com os principais índices de ações, o bitcoin não registrou uma baixa mais baixa [na semana passada]”, escreveu Mikkel Morch, diretor executivo do fundo de ativos digitais ARK36, em uma nota por e-mail. “Esse pequeno detalhe pode ser de grande importância em termos de conversa sobre bitcoin como um ativo de refúgio seguro”.

Apesar da recuperação do preço do bitcoin, ethereum e cripto, persistem os temores de que o preço do bitcoin possa cair novamente.

“A situação ainda é volátil e os níveis de US$ 40 mil (R$ 206 mil) ainda são a resistência”, acrescentou Morch. “A menos que o bitcoin quebre significativamente essa barreira, revisitar os mínimos do intervalo ou mesmo o suporte de US$ 30 mil ainda está na mesa no curto prazo”.

“Se a situação na Ucrânia aumentar ainda mais, o bitcoin pode cair abaixo de US$ 30 mil, já que os investidores saem para ativos defensivos”, disse Alex Kuptsikevich, analista financeiro sênior da FxPro, em comentários por e-mail, citando relatórios segundo os quais a Rússia poderia usar criptomoeda para contornar sanções. “Caso contrário, o país não sobreviverá à crescente pressão das sanções dos países ocidentais.”

No entanto, outros na comunidade bitcoin e cripto acham improvável que o bitcoin seja usado pela Rússia para evitar sanções globais.

“A sugestão de que a Rússia poderia usar bitcoin para evitar sanções é principalmente um exagero da mídia”, disse Cory Klippsten, executivo-chefe do aplicativo de compra de bitcoin Swan Bitcoin, via Telegram.

“Tecnicamente, a Rússia poderia usar bitcoin devido a sua natureza aberta e sem permissão, mas existem métodos para as agências rastrearem transações de bitcoin. É importante notar que o bitcoin é uma tecnologia que pode ser acessada por qualquer pessoa, não importa se você concorda com suas ações ou não.”

Até agora, quase US$ 14 milhões (R$ 72 milhões) foram doados para o esforço de guerra ucraniano por meio de doações anônimas de bitcoin, de acordo com pesquisadores da Elliptic, uma empresa de análise de blockchain.

No sábado, a conta oficial do Twitter do governo da Ucrânia postou: “Fique com o povo da Ucrânia. Agora aceitando doações de criptomoedas. bitcoin, ethereum e USDT” – uma stablecoin atrelada ao dólar americano. Endereços para duas carteiras de criptomoedas coletaram milhões de dólares em bitcoin, ethereum em apenas algumas horas.

“Em todo o mundo, a demanda por bitcoin continua a aumentar à medida que a necessidade de uma reserva de valor descentralizada e resistente à censura se torna mais evidente a cada dia”, acrescentou Klippsten.

Compartilhe esta publicação: