Fechamento Ibovespa: Bolsa vai na contramão de índices internacionais e encerra pregão em leve alta

Wall Street recua com aumento de temores de conflito entre Rússia e Ucrânia .

Vitória Fernandes
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


O Ibovespa fechou hoje (14) em leve alta de 0,29%, a 113.899 pontos, em um pregão favorável para o índice, que anda na contramão das principais bolsas internacionais. O dia foi marcado pela tensão entre Rússia e Ucrânia.

“No Brasil, a Bolsa não está sofrendo tanto quanto lá fora, pois já registrou quedas por motivos mais locais antes desse acontecimento. Além disso, o petróleo em alta puxa o índice, além dos resultados corporativos muito positivos”, avalia Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial Investimentos.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

A Rússia declarou que está pronta para continuar negociando com o país vizinho, enquanto autoridades ucranianas dizem que Kiev está preparada para fazer concessões.

No cenário corporativo, a Hapvida (HAPV3) e a NotreDame Intermédica consumaram a combinação de negócios, os papéis fecharam com alta de 2,44%. Por conta da fusão, a NotreDame encerrou suas negociações na B3.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O destaque do pregão ficou para os papéis da Petz (PETZ3), que subiram 6,59%. Em segundo lugar entre as maiores altas, a Hypera (HYPE3) registrou avanço de 4,35%.

As ações de empresas do setor de commodities sofreram neste pregão. Após recuo no preço do minério de ferro, a Vale (VALE3) fechou em queda de 0,43%, enquanto a Petrobras (PETR4) recuou 2,25%, apesar da alta do petróleo.

Outras empresas do setor, como Gerdau (GGBR3), 3R Petroleum (RRRP3), CSN (CSNA3) e Brasken (BRKM5) se desvalorizaram em 1,20%, 1,32%, 0,25% e 1,13%.

Em Wall Street, os principais índices fecharam em queda com temores de novas altas na taxa de juros e preocupação com a disputa política entre Rússia e Ucrânia. Os EUA fecharam sua embaixada em Kiev nesta segunda-feira.

O presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard, reiterou a defesa de um ritmo mais rápido de aumentos de juros pelo banco central dos EUA. Ele afirmou que as quatro fortes leituras de inflação seguidas justificam essa alternativa e que o banco precisa ratificar as expectativas do mercado para seus próximos movimentos.

O Dow Jones fechou em queda de 0,49% a 34.566 pontos; o S&P 500 perdeu 0,38%, a 4.401 pontos; e o Nasdaq fechou estável a 13.790 pontos.

O dólar começou a semana perdendo 0,43% e atingindo novas mínimas em cerca de cinco meses, cotado a R$ 5,2186. O real está entre as divisas globais de melhor desempenho no dia, ainda embalado pelo pela atrativa taxa de juros. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: