Ocidente corta seleção de bancos russos do sistema Swift

Desconexão do sistema mundial de comunicação interbancária impede operações e prejudica financiamento da guerra contra a Ucrânia.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Sergey Guneev/Reuters
Sergey Guneev/Reuters

Líderes do Ocidente também vão paralisar os ativos do banco central da Rússia para congelar suas transações, condenando escolha de Vladimir Putin pela guerra.

Acessibilidade


Líderes do G7, grupo dos sete países mais industrializados do mundo, comunicaram hoje (27) que aliados ocidentais decidiram cortar “certos bancos russos” do Swift, sistema mundial de comunicação interbancária.

A declaração conjunta dos Estados Unidos, Reino Unido, União Europeia e Canadá não especificou quais bancos russos foram afetados pela decisão – a lista final de instituições ainda está sendo elaborada. O texto acrescentou que uma força-tarefa transatlântica será criada em breve para coordenar as sanções contra a Rússia.

Em um comunicado divulgado pela Casa Branca, os países disseram que condenam “a escolha de [Vladimir] Putin pela guerra e os ataques à nação soberana e ao povo da Ucrânia”, acrescentando que vão “responsabilizar a Rússia e garantir coletivamente que esta guerra seja um fracasso estratégico para Putin”.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que o bloco está trabalhando para prejudicar a capacidade de Putin de financiar “sua máquina de guerra”, comprometendo-se a garantir que um certo número de bancos russos sejam removidos do Swift, entre outras sanções.

“Isso garantirá que esses bancos sejam desconectados do sistema financeiro internacional e prejudiquem sua capacidade de operar globalmente“, afirmou von der Leyen. “Também vamos paralisar os ativos do banco central da Rússia. Isso congelará suas transações e impossibilitará que o banco central liquide ativos. Finalmente, trabalharemos para proibir os oligarcas russos de usar seus ativos financeiros em nossos mercados”, completou.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Swift comunicou que vai implementar as novas medidas nos próximos dias.

Alguns países do bloco europeu estavam relutantes em adotar a medida devido a preocupações sobre como os pagamentos das importações de energia russa seriam feitos e se os credores da UE seriam pagos.

A Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication (Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais), ou Swift, foi criada em 1973 e está sediada na Bélgica e lida com solicitações e mensagens de pagamento entre 11.000 instituições financeiras em todo o mundo, entregando 42 milhões de mensagens por dia em 2021.

Atualmente a maioria das transações interbancárias internacionais, como ordens de pagamento e transferências bancárias, são realizadas através da rede. (Com Reuters)

Compartilhe esta publicação: