Acionistas preferencialistas indicam nome para conselho da Petrobras; veja os destaques do Radar

Últimas notícias sobre: Eneva, Valid, Méliuz, CCR, PetroRio, Renova Energia, B3, C&A e mais.

Isabella Velleda
Compartilhe esta publicação:

Acessibilidade


No Forbes Radar de hoje (11), a Petrobras informou que recebeu indicação de Marcelo Mesquita de Siqueira Filho para ocupar uma vaga no Conselho de Administração da empresa, representando os acionistas detentores de ações preferenciais.

Já a Eneva informou que, ao final do pregão de hoje, será concluída a combinação de negócios entre a empresa e a Focus Energia. A relação de troca final será de 0,1896 novas ações ordinárias de emissão da Eneva para cada ação ordinária de emissão da Focus.

Acompanhe em primeira mão o conteúdo do Forbes Money no Telegram

Veja esses e outros destaques corporativos do dia:

Petrobras (PETR3;PETR4)

A Petrobras informou que recebeu indicação de Marcelo Mesquita de Siqueira Filho para ocupar uma vaga no Conselho de Administração da empresa, representando os acionistas detentores de ações preferenciais. A eleição ocorrerá em 13 de abril de 2022.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A indicação veio dos fundos de investimento geridos por Navi Capital Administradora e Gestora de Recursos Financeiros, Távola Capital Gestão de Recursos, Kapitalo Investimentos e Kapitalo Ciclo Gestora de Recursos Financeiros.

Mesquita é sócio-fundador da Leblon Equities e cogestor de fundos de ações e de investimentos de private equity.

Eneva (ENEV3)

A Eneva e a Focus Energia comunicaram que será concluída hoje a combinação de negócios entre as companhias.

A relação de troca final será de 0,1896 novas ações ordinárias de emissão da Eneva para cada ação ordinária de emissão da Focus de que seus acionistas forem titulares no encerramento do pregão.

Valid (VLID3)

A Valid informou que foi aprovado o aumento de capital da companhia no valor de R$ 4,3 milhões, mediante a emissão de 405 mil novas ações ordinárias e sem valor nominal, com preço de emissão de R$ 10,67 por ação.

Assim, o capital social da empresa passou dos atuais R$ 1,01 bilhão para R$ 1,02 bilhão.

Méliuz (CASH3)

O Méliuz informou que será submetida à deliberação dos acionistas a proposta de incorporação da totalidade das ações de emissão da Alter Pagamentos, conforme aprovada pelo Conselho de Administração da empresa ontem (10).

Atualmente, o Méliuz é titular de 1,8 milhão de ações ordinárias da Alter, o que corresponde a 99,67% do seu capital social. Os 0,33% remanescentes do capital social é composto por ações preferenciais Classe A, detidas por acionistas minoritários não vinculados ao Méliuz.

Nesse sentido, após a incorporação, a totalidade da base acionária da Alter será migrada para o Méliuz e, por consequência, a Alter se tornará subsidiária integral do Méliuz.

O capital social do Méliuz será aumentado em R$ 86 milhões mediante a emissão de 8.183 ações ordinárias.

CCR (CCRO3)

A CCR divulgou que houve uma elevação de 3,5% no tráfego de suas rodovias em fevereiro, na base anual, e um crescimento de 14% na comparação com 2019. Já os aeroportos registraram aumento de 66,9% ante fevereiro do ano passado.

PetroRio (PRIO3)

A PetroRio comunicou ter recebido da Truxt Investimentos correspondência na qual informam à companhia que passaram a deter 66,5 milhões de suas ações ordinárias, que representam 7,54% do capital social da PetroRio.

Os investidores declaram que as negociações realizadas não objetivam alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da companhia.

Renova Energia (RNEW3)

A Renova Energia informou que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) deferiu a liminar para suspender a sentença promovida pela Lightcom em face da RenovaCom, que havia declarado a rescisão do contrato de compra e venda de energia elétrica firmado em 17 de outubro de 2013, destinados ao atendimento do mercado livre.

Deste modo o contrato volta a vigorar imediatamente.

C&A (CEAB3)

A C&A registrou lucro líquido de R$ 154,4 milhões no quarto trimestre de 2021, o que representa um crescimento de 41,2% em comparação com o mesmo período de 2020.

B3 (B3SA3)

A B3 informou que o volume médio diário de ações negociadas em fevereiro foi de R$ 32,738 bilhões. O número representa uma alta de 6,8% ante janeiro, mas queda de 17,1% ante fevereiro do ano passado.

Itaúsa (ITSA4)

A Itaúsa adquiriu 1,1 milhão de ações ordinárias de emissão própria, aos preços de R$ 10,25 (mínimo), R$ 10,28 (médio) e R$ 10,30 (máximo) por ação, no âmbito do programa de recompra de ações.

Arezzo (ARZZ3)

A Arezzo registrou lucro líquido de R$ 103,9 milhões no quarto trimestre de 2021, alta de 32,8% na base anual.

Grupo Mateus (GMAT3)

O Grupo Mateus reportou lucro líquido de R$ 208 milhões no quarto trimestre, crescimento de 7,6% na base anual.

Compartilhe esta publicação: